Fato de ser mulher talvez tenha influído no processo contra Dilma, diz chanceler argentina

Susana Malcorra disse que presidente brasileira afastada vive momento 'muito duro' e que situação lhe causa 'profunda dor institucional e pessoal'

Redação

A chanceler da Argentina, Susana Malcorra, afirmou nesta sexta-feira (13/05) que a questão de gênero deveria ser considerada no processo que levou ao afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República.

Agência Efe

Susana Malcorra afirmou que questão de gênero deveria ser considerada no processo que levou ao afastamento de Dilma 

“Às vezes me pergunto se o gênero não é um elemento de consideração nestes processos tão duros”, disse em entrevista ao canal Todo Notícias por telefone. “Talvez se o gênero fosse diferente, os processos fossem diferentes”, complementou.

A chanceler disse lamentar o momento “muito duro” pelo qual passa Dilma e afirmou que a situação lhe causa “profunda dor institucional e pessoal”.

Ela declarou também que quando se “começa a debater entre legalidade e legitimidade é uma situação muito complexa” e se manifestou a favor de que o processo de impeachment ocorra “o mais cedo possível porque quanto mais demora, a crise mais se aprofunda não somente no Brasil, mas também na região”.

Segundo Susana, a Argentina esteve em "permanente contato" com o Brasil durante a crise política, e declarou que o presidente do país, Mauricio Macri, conversou com Dilma por telefone nas últimas semanas.

Comentários