Governo Temer aprofundará instabilidade política e econômica na região, diz Frente Ampla do Uruguai

Coalizão uruguaia diz que Senado deu 'passo a mais na quebra institucional' ao aprovar processo de impeachment de Dilma Rousseff na quinta-feira

Redação

A FA (Frente Ampla) do Uruguai, coalizão que reúne partidos e organizações de esquerda e que governa o país desde 1994, afirmou nesta sexta-feira (13/05) que o governo de Michel Temer aprofundará a instabilidade política e econômica na região.

Agência Efe

Segundo Frente Ampla do Uruguai, 
governo de Michel Temer aprofundará instabilidade política e econômica na região

“Um governo como o instalado só aprofundará a instabilidade política e econômica em nível regional, com consequências que repercutirão na região e em nosso país”, disse a entidade em nota.

De acordo com a FA, o Senado “deu um passo a mais na quebra institucional” ao aprovar o processo de impeachment de Dilma.

Segundo a coalizão, fazer uso do mecanismo do impeachment, “instrumento jurídico previsto em muitas constituições, sem fundamento jurídico, respeita as formas mas não o conteúdo da disposição constitucional, pelo qual viola a vontade cidadã e a própria norma constitucional”.

A situação, prossegue a FA, “nos permite falar em golpe de Estado parlamentar, dado que se submete a impeachment uma presidente sobre a qual não pesa nenhuma acusação por atos de corrupção nem nenhum crime de responsabilidade”.

 

A coalizão lembra que a maioria dos parlamentares que votaram a favor do afastamento de Dilma são acusados de corrupção, “sendo parte de um sistema político historicamente corrupto”.

A Frente Ampla diz que o objetivo da direita brasileira, “com apoio dos grandes meios de comunicação e setores do Poder Judiciário”, é afastar Dilma e o Partido dos Trabalhadores do governo “para retomar o controle político e econômico do Brasil”, o que não foi possível nas eleições.

“Está em risco a continuação de múltiplos planos sociais destinados aos mais desamparados, à população mais carente do país”, diz a nota da FA, que também manifesta solidariedade a Dilma, ao Partido dos Trabalhadores e ao povo brasileiro.

Comentários