Celag repudia golpe e diz que democracia foi colocada 'em xeque' no Brasil

'Estamos na presença de um golpe de Estado', afirma Centro Estratégico Latino-Americano de Geopolítica, que rechaçou 'processo de desestabilização'

Redação


Clique para acessar todas as matérias e artigos de Opera Mundi e Samuel sobre impeachment

O Celag (Centro Estratégico Latino-Americano de Geopolítica) afirmou que a democracia foi colocada "em xeque” no Brasil ao repudiar neste sábado (14/05) o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Beto Barata/Agência Senado

Comunicado do Celag critica Senado do país, "que deveria ter trabalhado e legislado por e para os interesses do povo brasileiro"

“A democracia foi colocada em xeque no Brasil”, diz a instituição em um comunicado divulgado em seu site. “Estamos na presença de um golpe de Estado, operado mediante mecanismos judiciais turvos e apoio dos grandes capitais”, afirma o  texto.

De acordo com o Celag, nos últimos meses houve “manobras políticas e judiciais para desprestigiar e tirar do poder a companheira presidente do Brasil, Dilma Rousseff”, o que ocorreu com a decisão do Senado na quinta-feira (12/05) de aprovar o processo de impeachment da mandatária.

 

“Esse mesmo Senado que deveria ter trabalhado e legislado por e para os interesses do povo brasileiro e não para os interesses políticos de algumas elites que desejam voltar a instaurar um passado neoliberal que mergulhou  Brasil na pobreza e desigualdade das grandes maiorias”, diz o centro.

A instituição critica também a mídia, “que emprestou suas páginas de jornais e telas de televisão para espalhar por todo o continente uma acusação que carece de todos os requisitos mínimos legais e que não mostrou uma só prova [contra Dilma] nem na Câmara dos Deputados nem no Senado”.

“Condenamos e repudiamos o processo de desestabilização e o golpe de Estado”, afirma o Celag, que convoca “instâncias e mecanismos de integração regional” para defender a democracia no país.

Comentários