Aula Pública Opera Mundi: o que o fim da União Soviética representou para a esquerda?

No novo episódio da Aula Pública, Gilberto Maringoni discute os efeitos da geopolítica mundial após 25 anos sem a URSS como estado único

Redação

0

Todos os posts do autor

No novo episódio da quarta temporada da Aula Pública, Gilberto Maringoni, jornalista e doutor em História Social pela USP, discute os 25 anos do fim da União Soviética como Estado único. Para o especialista, a queda determinou a reorganização da geopolítica mundial, criando uma unipolaridade em torno dos EUA.



"A queda da União Soviética não pode ser vista apenas como a redução do tamanho de um país. Logo após a queda do Muro de Berlim, a derrocada soviética em 1991 está dentro de um contexto da falência do socialismo real num espaço de tempo muito curto. Isso trouxe consequências importantes para a reorganização da geopolítica mundial, pois a polaridade do mundo durante a Guerra Fria dava às disputas internacionais uma certa previsibilidade. Com o fim da União Soviética, a potência dominante passou a determinar o roteiro. Por exemplo, antes do fim da Guerra Fria, os EUA haviam realizado 16 intervenções militares diretas. Apenas de 1993 até 2001, foram 48 intervenções", explica Maringoni.


Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Gilberto Maringoni: o que a queda da União Soviética representou para a esquerda mundial?

No segundo bloco, Gilberto Maringoni responde perguntas do público da UFABC, São Bernardo do Campo
 

Opera Mundi TV

Gilberto Maringoni analisa a geopolítica mundial 25 anos após o fim da União Soviética

Comentários