Ato político-cultural pela paz na Venezuela acontece em São Paulo

Evento reuniu organizações brasileiras em defesa do governo venezuelano e pela paz no país latino; Comitê Brasileiro pela Paz na Venezuela organizou o ato

Redação*

0

Todos os posts do autor

Diversas organizações brasileiras realizaram nesta sexta-feira (01/09) o ato político-cultural pela paz na Venezuela. O evento, que aconteceu em São Paulo no sindicato dos Arquitetos, contou com a presença de lideranças políticas nacionais como o coordenador do MST, João Pedro Stédile, representando a Frente Brasil Popular, e o coordenador do MTST Guilherme Boulos, pela Frente Povo Sem Medo. Além de representantes de partidos, como o PT, o PCdoB e o Psol, e de movimentos populares.

A ação, que foi organizada pelo Comitê Brasileiro pela Paz na Venezuela, pretendeu reunir militantes e entidades que se identificam com a luta anti-imperialista e a defesa da Venezuela, como explica Paola Estrada, representante da Alba Movimentos (Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América): "Nós queremos nos posicionar, colocar, acima de tudo, a luta antifascista e anti-imperialista que nos unifica. Isso é o que está acontecendo na Venezuela, uma ofensiva deste caráter, tanto externo, internacional, de caráter imperialista e intervencionista, quanto interno, na oposição, que tem provocado diversos atos de violência".

Agência Efe

Evento mostrou solidariedade de organizações brasileiras com a Venezuela

A denúncia dos ataques que o governo dos Estados Unidos vêm fazendo sobre a Venezuela também marcou o conteúdo político do ato, como explica o presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, Altamiro Borges: "No momento em que o fascista Trump fala em 'opção militar' contra a nação vizinha e irmã, não podemos vacilar na defesa da paz e das conquistas da revolução bolivariana. Com este espírito, dezenas de entidades convocaram este ato político-cultural".

A atividade também contou com apresentações culturais dos cantores e instrumentistas Tiarajú Pablo e Maurício Urzúa e com a discotecagem de ritmos latinos de "Don Ivan", o LatinidaDj.

*Com Brasil de Fato

Comentários