Papa cobra fim da violência contra manifestações em Honduras

'Em minha oração, lembro de modo particular também o povo de Honduras', disse o pontífice; desde a última sexta-feira, pelo menos sete pessoas morreram em confrontos com forças de segurança do país

Redação*

0

Todos os posts do autor

De volta ao Vaticano depois de uma viagem de seis dias pela Ásia, o papa Francisco dedicou, no Angelus deste domingo (03/12), uma mensagem para Honduras, país da América Central que vive um momento de turbulência após o segundo turno das eleições presidenciais, realizado há uma semana.

"Em minha oração, lembro de modo particular também o povo de Honduras, para que possa superar de maneira pacífica o atual momento de dificuldade", afirmou o líder da Igreja Católica.

Desde a última sexta-feira (01/12), pelo menos sete pessoas morreram em confrontos no país, sendo cinco em San Pedro Sula, uma em La Ceiba e outra na capital Tegucigalpa. As eleições presidenciais tiveram como candidatos o atual mandatário do país, Juan Orlando Hernández, de centro-direita, e o jornalista Salvador Nasralla, que guia uma ampla coalizão de forças de esquerda. Ambos declararam vitória, mas a apuração ainda não foi concluída.

Wikicommons

'Em minha oração, lembro de modo particular também o povo de Honduras', disse o pontífice

Com 95% das urnas escrutinadas, Hernández tem uma vantagem de 46 mil votos, em um universo de 2,6 milhões. O impasse gerou uma onda de manifestações que já dura uma semana, fazendo as autoridades instituírem um toque de recolher das 18h às 6h, válido por 10 dias.

"Queremos garantir a segurança", disse Hernández. Nasralla, apoiado pelo ex-presidente Manuel Zelaya (2006-2009), denuncia fraudes na votação. Atualmente, a Constituição de Honduras proíbe a reeleição de um mandatário, mas Hernández conseguiu disputar o pleito graças a uma decisão da Corte Constitucional.

Manifestações

A coalizão Aliança da Oposição contra a Ditadura em Honduras, liderada pelo canditado Salvador Nasralla, convocou manifestações pelo país neste domingo às 14h (18h de Brasília). O ex-presidente Manuel Zelaya, vítima de um golpe civil-militar em 2009, estará presente no ato em Tegucigalpa, junto com Nasralla.

Dirigentes da Aliança afirmaram que as manifestações convocadas chamam ativistas e simpatizantes a reclamar a vitória de Slavador Nasralla nas eleições presidenciais do dia 26 de novembro. Os resultados continuam suspensos pelo Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) de Honduras.

*Com ANSA

Comentários

Leia Também