Lula expressa solidariedade a Cristina Kirchner e fala em 'caçada judicial e midiática' à ex-presidente da Argentina

Na quinta, o juiz Claudio Bonadio pediu a prisão de Cristina por 'traição à pátria' e 'encobrimento agravado' por conta de um memorando assinado por ela, quando era presidente, e o governo do Irã

Redação

Todos os posts do autor

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva expressou nesta sexta-feira (08/12) solidariedade à ex-mandatária argentina Cristina Kirchner, contra quem foi emitido um pedido de prisão na quinta (07/12). Segundo Lula, ela sofre uma “caçada judicial e midiática” no país.

“Expresso minha solidariedade à presidenta Cristina Kirchner e a seus colaboradores que tanto fizeram pelo povo argentino e pela integração sul-americana. É preocupante a verdadeira caçada judicial e midiática lançada contra essa companheira a quem tanto admiro e estimo”, afirmou o ex-presidente.

Na quinta, o juiz Claudio Bonadio pediu a prisão de Cristina por "traição à pátria" e "encobrimento agravado" por conta de um memorando assinado por ela, quando era presidente, e o governo do Irã. Esse acordo, segundo a acusação, tinha o objetivo de encobrir uma eventual participação de Teerã no atentado à sede da Associação Mutual Israelita Argentina (Amia) em 1994, que deixou 85 motos.

“Tudo isso que está acontecendo é um despropósito. Um verdadeiro excesso. Estas medidas não só violam o estado de direito como buscam provocar danos pessoas e políticos aos opositores, às suas trajetórias. Isto não tem nada a ver com a justiça e com a democracia”, afirmou Cristina, que considerou o pedido de prisão “um absurdo”.

Sobre a acusação de traição, Kirchner afirmou que o juiz sustenta a ideia de que o atentado à sede da Amia foi um ato de guerra, e não um atentado terrorista. Para ela, “esta foi a única maneira que [Bonadio] encontrou em seu mundo jurídico muito particular” para justificar a acusação de traição à pátria. 

Além do pedido de prisão de Cristina, Bonadio também determinou a detenção d o ex-secretário-geral da Presidência Carlos Zanini, do dirigente sindical Luis D’Elia e do representante da comunidade islâmica na Argentina Jorge “Yussuf” Kalil. Eles já foram presos.

Bonadio também pediu a detenção do ex-chanceler Hector Timmerman, gravado afirmando que o governo saberia do envolvimento de iranianos no atentado.

MRE (nov.2009)/Flickr CC

Lula expressou solidariedade à ex-presidente Cristina Kirchner

Comentários

Leia Também