Partido conservador troca primeiro-ministro na Polônia

Popular política Beata Szydlo dá lugar ao ministro das Finanças, Mateusz Morawiecki. Analistas veem manobra do presidente do PiS e verdadeiro detentor do poder no país, Jaroslaw Kaczynski

Deutsche Welle

0

Deutsche Welle Deutsche WelleTodos os posts do autor

A primeira-ministra da Polônia, Beata Szydlo, renunciou nesta quinta-feira (07/12) ao cargo, abrindo caminho para que o atual ministro das Finanças e Desenvolvimento, Mateusz Morawiecki, assuma a chefia do Executivo.


Poucas horas antes, a política do partido Lei e Justiça (PiS) havia superado sem problemas uma moção de desconfiança do Parlamento. Ela tem alta popularidade, e a economia do país passa por uma prolongada fase de crescimento.

Analistas afirmam que a mudança é uma manobra do presidente do PiS, Jaroslaw Kaczynski, para preparar o partido para uma série de eleições nos próximos anos. Haverá eleições regionais em 2018, parlamentares em 2019 e presidenciais em 2020.

Já críticos afirmam que, com a mudança, o PiS tenta desviar a atenção de uma importante votação no Parlamento, marcada para esta sexta-feira. Se aprovada, a mudança na legislação dará ao partido significativo poder sobre o Judiciário.

Flickr CC

Popular política Beata Szydlo dá lugar ao ministro das Finanças, Mateusz Morawiecki

Morawiecki, de 49 anos, é considerado a pessoa de confiança de Kaczynski, na prática o "homem forte" da Polônia. O PiS comunicou que Szydlo terá um papel importante no governo de Morawiecki. "As pessoas mudam, mas não o nosso programa", disse um porta-voz.

Informações extra-oficiais indicam que Szydlo será a vice de Morawiecki. Segundo a agência de notícias polonesa PAP, o Parlamento expressará sua confiança a Morawiecki na próxima terça-feira. Ela deverá manter todo o atual gabinete de governo.

Morawiecki foi diretor de um dos principais bancos da Polônia, o BZWBK, que foi adquirido pelo grupo espanhol Santander em 2011, antes de se tornar ministro com a vitória do PiS nas eleições de outubro de 2015.

A presidente do partido liberal opositor Nowoczesna, Katarzyna Lubnauer, disse que tanto faz se o primeiro-ministro for Morawiecki ou Szydlo, pois "as decisões são tomadas por Kaczynski".

O PiS, o primeiro partido a vencer as eleições gerais por maioria absoluta na história moderna da Polônia, impulsionou uma série de iniciativas legais polêmicas nos últimos dois anos, como as reformas dos meios de comunicação ou do sistema judiciário, além de posicionar contra o acolhimento de solicitantes de refúgio dentro do mecanismo de redistribuição da União Europeia.

AS/dpa/efe/ap/rtr

Comentários