Putin ordena retirada de tropas russas da Síria

'Uma parte considerável do contingente russo instalado na Síria voltará para a casa', disse mandatário russo; militares russos atuam desde 2015 no país

ANSA

Todos os posts do autor

Em uma rápida visita à Síria, o presidente russo, Vladimir Putin, ordenou nesta segunda-feira (11/12) a retirada parcial das tropas do país, que atuam há dois anos no combate a grupos terroristas.

A notícia foi dada pela emissora estatal "Russia Today (RT)" e pela agência "Tass". Putin esteve hoje na base aérea russa de Hmeymim, na Síria, onde se reuniu com o presidente Bashar al-Assad,com o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, e com o comandante das tropas russas na Síria, Sergei Surovikin.

"Ordeno ao Ministério da Defesa e ao líder do Estado-maior o início da retirada do contingente militar russo nas bases permanentes [sírias]", disse Putin. "Nos últimos dois anos, as Forças Armadas russas e o Exército sírio derrotaram o grupo mais combativo entre os terroristas internacionais. Neste ponto, tomei uma decisão: uma parte considerável do contingente russo instalado na Síria voltará para a casa, a Rússia", anunciou o mandatário.

Foto Kremlin/Fotos públicas

"Uma parte considerável do contingente russo instalado na Síria voltará para a casa", disse Putin

A Rússia deu início à missão militar na Síria em setembro de 2015, com o foco de ajudar Assad no combate a grupos armados, principalmente ao Estado Islâmico. A organização sofreu constantes baixas nos últimos anos e perdeu a maioria de seus territórios.

Na semana passada, o Exército sírio declarou vitória sobre o Estado Islâmico, após a retomada de Deir Ez-Zor, a última grande cidade controlada pelo grupo no país.

Após a rápida passagem pela Rússia, Putin seguiu viagem ao Egito. Ele chegou pela capital, Cairo, e foi recebido pelo presidente Abdel Fattah al-Sisi. À tarde, ele deve ir para Ancara, onde se reunirá com o líder turco, Recep Tayyip Erdogan.

Comentários