Irã acusa Trump de 'interferência grotesca' em protestos

Segundo embaixador, afirmações do presidente norte-americano ‘incitaram iranianos em atos disruptivos’; acusação de interferência foi incluída em carta enviada para líder da ONU

ANSA

Todos os posts do autor

O embaixador iraniano nas Nações Unidas, Gholamali Khosroo, enviou nesta quinta-feira (04/01) uma carta ao secretário-geral da entidade, Antonio Guterres, em que acusa o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu vice, Mike Pence, de fazer uma "interferência grotesca nos assuntos internos" de seu país por conta dos protestos anti-governo.

No documento, o iraniano afirma que a Casa Branca "cruzou todos os limites nas regras e princípios da lei internacional que governam a conduta civilizada das relações internacionais". Para Khosroo, os "tuítes absurdos" de Trump e de Pence "incitaram iranianos em atos disruptivos".

Os protestos começaram na cidade iraniana de Mashhad em 28 de dezembro, com uma pauta que criticava a alta inflação e a falta de emprego, mas logo se espalharam pelo país em ações contra o governo de Hassan Rohani e o guia supremo aiatolá Ali Khamenei.

Mais de 20 pessoas morreram durante as manifestações e o governo acusou "inimigos do Islã" e "ameaças externas" de estarem por trás dos atos. Nesta quinta-feira, no entanto, há poucos registros de atos públicos.

Wikimedia Commons

Segundo embaixador, afirmações do presidente norte-americano no Twitter ‘incitaram iranianos em atos disruptivos

Comentários