Tribunal Supremo da Espanha decide manter prisão preventiva de ex-vice-presidente catalão

Oriol Junqueras está detido desde novembro acusado de malversação de recursos públicos, sedição e rebelião por conta do referendo independentista de 1º de outubro

Redação (*)

Todos os posts do autor

O Tribunal Supremo da Espanha decidiu por unanimidade nesta sexta-feira (05/01) manter a prisão preventiva do ex-presidente catalão Oriol Junqueras, ao considerar que existe risco de que ele mantenha "conduta delitiva" caso posto em liberdade.

Junqueras compareceu ao tribunal nesta quinta (04/01), quando disse ser “um homem de paz que aposta no diálogo bilateral para a situação política da Catalunha”. “Quero rogar-lhes que me ponham em liberdade. Tentarei que sejam predominantes os valores de civismo e paz onde quer que eu tenha influência”, afirmou.

Os juízes, no entanto, não aceitaram o pedido, mesmo que tenham reconhecido ser “legítimo” pedir a independência da Catalunha.

Agència Catalana de Notícies

O Tribunal Supremo da Espanha decidiu por unanimidade manter a prisão preventiva do ex-presidente catalão Oriol Junqueras

“Existe um risco relevante de reiteração delitiva ao não haver nenhum dato que permita entender que o recorrente tenha a intenção de abandonar a via seguida até agora”, disseram os juízes na decisão.

A Procuradoria espanhola era contra liberdade de Junqueiras, que havia solicitado o relaxamento da prisão para poder participar da formação do novo governo catalão.

O ex-vice-presidente catalão está detido desde 2 de novembro de 2017 acusado de malversação de recursos públicos, sedição e rebelião por conta do referendo independentista de 1º de outubro, marcada pela violenta repressão das forças policiais do governo espanhol.

(*) Com teleSUR

Comentários