Ativista ambiental Yolanda Maturana é assassinada na Colômbia

De acordo com organizações de direitos humanos de país, ela foi morta em sua residência por homens encapuzados; ativista denunciava mineração ilegal

Redação*

Todos os posts do autor

A líder ambientalista colombiana Yolanda Maturana foi assassinada na noite da última quinta-feira (01/02) em sua residência no município de Pueblo Rico, na Colômbia (cerca de 400 km ao noroeste de Bogotá). 

Segundo organizações de direitos humanos do país, homens armados e encapuzados invadiram a casa da ativista e dispararam várias vezes contra ela.

Elsa Gladys Cifuentes, advogada colombiana e especialista em direitos humanos, confirmou a morte da ativista e ainda afirmou que havia recebido denúncias de povos indígenas locais sobre homens encapuzados ameaçando moradores.

Reprodução

Ativista morta denunciava mineração ilegal

Mutarana era conhecida pelo seu trabalho nos estados de Risalda (centro) e Chocó (noroeste), denunciando mineração ilegal e a contaminação de fontes hídricas. Segundo as Nações Unidas, pelo menos 73 ativistas foram assassinados na Colômbia só no ano passado. 

(*)Com TeleSur

Comentários