Pré-venda da moeda digital venezuelana Petro rendeu US$ 735 milhões, afirma Maduro

Moeda virtual está lastreada por um campo de petróleo na região do Orinoco, que conta com uma expectativa de produção de 5 bilhões de barris

Redação

0

Todos os posts do autor

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta terça-feira (20/02) que a pré-venda da moeda digital oficial Petro, iniciada no mesmo dia, rendeu o equivalente a US$ 735 milhões (cerca de R$ 2,4 bilhões).

“Somente em 20 horas conseguimos uma intenção de compra na pré-venda na ordem de 4,7 bilhões de yuanes, o que significa 596 milhões de euros, 735 milhões de dólares. Já o temos em nossas mãos, o Petro. Arrancamos do alto”, disse.

A moeda virtual venezuelana está lastreada por um campo de petróleo na região do Orinoco, que conta com uma expectativa de produção de 5 bilhões de barris. O petro usa como preço base o do barril do petróleo do país, que, nesta semana, está em US$ 58,25/barril.

“Por conta desse respaldo, ordenei emitir 100 milhões de petros. Cada um tem um valor básico, com base no barril de petróleo venezuelano. É o único criptoativo que tem respaldo em riquezas naturais”, afirmou.

PresidencialVen/Twitter

Maduro, durante balanço do primeiro dia do petro: captação de 735 milhões de dólares

A pré-venda segue até o dia 19 de março e, no total, estão sendo ofertados 38,4 milhões de petros. Neste primeiro dia de negociações, caso elas tenham sido vendidas pelo valor de face (US$ 58,25), estima-se que cerca de 12 milhões de petros tenham sido vendidos. Maduro não divulgou se as vendas foram feitas por este valor.

Uso em outras áreas

Maduro autorizou que serviços prestados por embaixadas e consulados venezuelanos fora do país possam ser pagos com petro ou qualquer outra criptomoeda. O presidente também autorizou que a Associação Nacional de Companhias Aéreas pague custos associados à operação, especialmente combustível, com o petro.

Segundo ele, a partir desta quarta (21/02), todo o combustível venezuelano vendido nos postos de combustíveis da fronteira com a Colômbia será cobrado também na moeda virtual.

“Vamos estabelecer os novos serviços de gasolina internacionais na fronteira. Temos várias estações de serviços, onde se cobra em pesos colombianos, se cobra em bolívares, em preço internacional. E, a partir de amanhã [esta quarta], no plano revitalizado de serviços de prestação de gasolina para combater o contrabando na fronteira, vamos começar a cobrar em todas as criptomoedas, especialmente o petro”, afirmou.

Comentários