'Jamais poderão aprisionar meus sonhos', publica jornal argentino Página/12 na capa; veja repercussão internacional

Após Lula se entregar à PF, os maiores veículos da América Latina e do mundo destacam a queda de um líder que transformou o país

Redação

0

Todos os posts do autor

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou na noite deste sábado (07/04) à Polícia Federal, em Curitiba, para começar a cumprir a pena de 12 anos e 1 mês de prisão a que foi condenado pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região). Após o petista se entregar à PF, os maiores veículos da América Latina e do mundo destacam a queda de um líder que transformou o país.

O jornal argentino Página/12 publicou na capa frase dita por Lula no ato desta sexta-feira (06/04) em São Bernardo do Campo: "jamais poderão aprisionar meus sonhos". "O ex-presidente transformou a missa em um verdadeiro ato popular em memória de sua falecida esposa", afirma o texto citando trechos do discurso do ex-presidente. "Quando eu sair da prisão, vou sair mais forte", foi uma das frases destacadas com a foto de Lula sendo levado nos braços dos manifestantes. 

Reprodução

'Jamais poderão aprisionar meus sonhos', publica jornal argentino Página/12 na capa

A emissora multiestatalTelesur transmitiu ao vivo as mobilizações e desdobramentos da prisão do ex-mandatário. Neste domingo (08/04) continuam com a cobertura "Minuto a minuto: brasileiros acompanham Lula", além da publicação de outras matérias, como o discurso na íntegra do ex-presidente e os atos previstos pelos movimentos sociais até 01/05. "A detenção de Lula é parte essencial do golpe que está em curso contra o povo brasileiro", ressaltaram trecho da carta assinada pela Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo.
 
O colombiano El Tiempo destacou uma análise da agência de notícias France Presse que avalia a prisão de Lula como "um golpe mortal a toda uma geração de líderes da região", e aponta uma possível radicalização da esquerda latino-americana.
 
No periódico argentino El Clarín, o tema foi manchete e ocupou uma grande parte da capa. Também transmitiram ao vivo, na página inicial de seu site, as imagens da rendição do ex-presidente, destacando o "forte aparato de segurança" na chamada. Descreveram a cela e a tentativa dos militantes de impedirem Lula de se entregar à PF.
 
O espanhol El País usou como título uma frase do discurso de Lula em SBC: "A morte de um combatente não para uma revolução". No texto, destacaram o discurso de despedida da liberdade feito pela liderança de esquerda com duras críticas aos juízes: "eu não sou um ser humano, sou uma ideia, uma ideia misturada com a ideia de vocês.".
 
Por sua vez, o jornal norte-americano The New York Times soltou um alerta aos celulares de seus leitores, destacando a prisão de Lula: “Ex-presidente do Brasil se entrega para cumprir 12 anos de prisão por corrupção, uma impressionante queda para um líder que transformou o país”. Para a inglesa BBC, a liderença popular ainda tem uma "voz poderosa".
 
A trajetória e conquistas de Lula foram lembradas pelo The Washington Post, que o chamou de "porta-estandarte da esquerda global". A frase de Barack Obama em refeferência ao petista, "o político mais popular do mundo", foi mencionada no jornal estadunidense.
 

Eu apoio Opera Mundi

Eu apoio Opera Mundi

Eu apoio Opera Mundi

O britânico The Guardian utilizou a imagem de Lula carregado pelos braços dos manifestantes até o Sindicato dos Metalúrgicos, após o discurso realizado no carro de som. O registro foi feito pelo jovem de 18 anos, Francisco Proner. A notícia "Lula inicia sentença de prisão no Brasil depois de se entregar à polícia", ressalta a fala do ex-presidente a multidão de seguidores no sábado (07/04): "Vou provar minha inocência. Os poderosos podem matar uma, duas, ou 3 rosas, mas jamais conseguirão deter a chegada da primavera".

 

 

Comentários