Estado Islâmico reivindica ataques terroristas que deixam mais de 150 mortos no sul da Síria

Atentado ocorreu na cidade de As-Swayada e, segundo ONG, entre os mortos estão 62 civis e 94 combatentes sírios; governo diz ter matado membros do grupo

Redação

0

Todos os posts do autor

Mais de 150 pessoas, entre combatentes e civis, morreram nesta quarta-feira (25/07) após uma série de atentados na cidade de As-Swayada, no sul da Síria. O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria dos ataques.

Segundo a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, 62 civis e 94 combatentes sírios estão entre as vítimas. A organização ainda informou que o número de mortos pode aumentar nas próximas horas devido à gravidade de alguns dos feridos e ao grande número de desaparecidos.

A agência de notícias oficial síria SANA informou que um dos terroristas se explodiu em uma área próxima a um mercado. Outros dois foram mortos por forças de segurança do país antes que conseguissem detonar os explosivos.

Reprodução
Atentado ocorreu na cidade de As-Swayada e, segundo ONG, entre os mortos estão 62 civis e 94 combatentes sírios (Foto: Wikimedia Commons)

Os autores dos ataques foram mortos após uma série de bombardeios aéreos contra bases onde o grupo estaria localizado.

O EI não controla mais territórios sírios, mas mantém uma grande capacidade de mobilização. Em dezembro de 2017, a Rússia, que luta ao lado do governo de Bashar al Assad, havia declarado a derrota do grupo no país árabe.

O ataque é considerado um dos maiores desde o começo dos conflitos, em 2011. De lá para cá, segundo um levantamento do Observatório, mais de 350.000 pessoas morreram na síria por conta da guerra.

Comentários