Reino Unido: May diz que Brexit chegou a 'impasse' e descarta novo referendo

'Durante este processo, tratei a União Europeia com nada menos do que respeito. O Reino Unido espera o mesmo', disse premiê

Redação

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, afirmou nesta sexta-feira (21/09) que o processo de retirada do país da União Europeia, o Brexit, chegou a um impasse.

Em comunicado oficial, a premiê criticou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmando que ao rejeitar as propostas britânicas o representante europeu não teria "explicado ou feito uma contraproposta. Portanto, estamos em um impasse", disse.

May argumentou que os líderes europeus encarregados das negociações deveriam apresentar alternativas e não apenas descartar as propostas que Londres elabora.

O anúncio vem após a realização de uma cúpula realizada na última quarta e quinta-feira na cidade de Salzburgo, na Áustria, entre May e representantes europeus, na qual as propostas britânicas foram rejeitadas.

"Não é aceitável simplesmente rejeitar as propostas do outro lado sem uma explicação detalhada e sem contrapropostas", disse May em discurso transmitido em rede nacional pela televisão britânica.

A primeira-ministra ainda disse que não irá "reverter o resultado do referendo [que decidiu a saída da UE] nem quebrar o meu país".

"Durante este processo, eu tratei a União Europeia com nada menos do que respeito. O Reino Unido espera o mesmo", destacou a conservadora. Para Theresa May, "a melhor solução para o Reino Unido é sair com um acordo", embora a premiê tenha destacado que "nenhum acordo é melhor do que um acordo ruim".

May afirmou que "apesar do progresso que fizemos, existem duas grandes questões que nós permanecemos em discordância", se referindo a duas propostas feitas pela UE.

A primeira implicaria a permanência do Reino Unido na união aduaneira, zona de comércio única onde circulam livremente todas as mercadorias dos países que são membros do bloco. A outra consistiria em um acordo de livre comércio padrão, mas que colocaria a Irlanda do Norte como parte do mercado europeu.

Para May, tais propostas são "inaceitáveis", pois a primeira "ridiculariza" a ideia do Brexit, e a outra separa a Irlanda do Norte das demais regiões do Reino Unido.

Durante a cúpula de Salzburgo, Donald Tusk, declarou que as ideias de May para a saída do Reino Unido da UE não irão funcionar, enquanto a premiê destacou que seu plano - conhecido como Chequers - é a única alternativa em negociação para a nação britânica e que, se não for aceito, o país está preparado para deixar o bloco europeu sem um acordo.

Após a reunião, a imprensa britânica classificou o desempenho de May como um "fracasso", destacando que a primeira-ministra foi "humilhada" durante a cúpula e que "seu Brexit está arruinado".

Comentários

Leia Também