'Bolsonaro diz coisas desagradáveis', diz Marine Le Pen, líder da extrema-direita francesa

Declaração foi dada em entrevista ao canal France 2, na qual Le Pen foi convidada a opinar sobre a ascensão do capitão reformado na política brasileira

Redação

ANSA ANSATodos os posts do autor

A líder da extrema-direita na França, Marine Le Pen, criticou nesta quinta-feira (11/10) o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, afirmando que ele diz coisas "extremamente desagradáveis".

A declaração foi dada em entrevista ao canal France 2, na qual Le Pen foi convidada a opinar sobre a ascensão do capitão reformado na política brasileira.

A presidente do partido Reunião Nacional (RN) reconheceu que a "criminalidade endêmica" catapultou Bolsonaro e que sua votação é uma "reação" da população à "insegurança", mas criticou suas declarações sobre homossexuais e mulheres.

"Certamente ele tem dito coisas que são extremamente desagradáveis, que não podem ser transferidas para nosso país, é uma cultura diferente", afirmou Le Pen. "De qualquer maneira, a partir do momento em que alguém diz coisas desagradáveis, ele passa a ser de extrema-direita na imprensa francesa", disse.

No entanto, ela ressaltou que os povos têm "diferentes histórias e culturas". "Ainda estamos tentando julgar o que está acontecendo no exterior com base em nossa própria cultura e em nossa própria história?", questionou.

Com uma plataforma anti-imigração e contra a União Europeia, Le Pen chegou ao segundo turno das eleições presidenciais na França em 2017, mas acabou derrotada pelo centrista liberal Emmanuel Macron, por um placar de 66,1% a 33,9%.

Comentários