Candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil

Bolsonaro obteve até o momento 55,4% dos votos; Fernando Haddad alcançou 44,6%.

Redação

Atualizado às 20:08

O candidato do Partido Social Liberal (PSL) Jair Bolsonaro, de extrema-direita, foi eleito presidente do Brasil neste domingo (28/10). O deputado assumirá o cargo em 1º de janeiro de 2019 para um mandato de quatro anos.

Com 97% das urnas apuradas, Bolsonaro obteve até o momento 55,4% dos votos. Fernando Haddad, candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), alcançou 44,6%.

A campanha de Bolsonaro foi marcada pela disseminação de fake news. O candidato chegou a ser proibido de reproduzir conteúdos afirmando que o livro Aparelho Sexual e Cia tinha sido distribuído em escolas públicas pelo Ministério da Educação quando Haddad era ministro da pasta. O tribunal também determinou que 55 links em que Bolsonaro colocava à prova a confiabilidade da urna eletrônica fossem retirados do ar.

Wikicommons
Candidato da extrema direita, Jair Bolsonaro é eleito presidente do Brasil

Ferrenho defensor da ditadura militar - regime responsável por perseguir, prender, torturar e matar milhares de pessoas entre 1964 e 1985 -, Bolsonaro é conhecido por suas frases homofóbicas, racistas e misóginas, o que o transformou em um símbolo da extrema-direita.

Bolsonaro foi vítima de uma facada no abdômen no começo de setembro enquanto fazia campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais. Desde então não participou de nenhum dos debates, mesmo após ser liberado pelos médicos.

Militar da reserva, o presidente eleito foi vereador do Rio de Janeiro (1989-1990) e é deputado federal desde 1991 pelo Estado do Rio de Janeiro. Bolsonaro atualmente cumpre o seu sétimo mandato exercendo o cargo.

Entre as pautas mais defendidas pelo presidente eleito está a castração química para estupradores e a liberação do porte de armas.

"Não poderemos mais flertar com o socialismo"

O presidente eleito fez um pronunciamento após o resultado. Segundo Bolsonaro, o Brasil não pode mais continuar "flertando com o socialismo, com o comunismo e com o extremismo da esquerda". Farei "um governo que possa colocar nosso Brasil em um lugar de destaque. Temos tudo para ser uma grande nação".

"Meu muito obrigado a todos vocês pelo apoio, pela consideração, pelas orações e pela confiança. Vamos juntos mudar o destino do Brasil. Sabíamos para onde estávamos indo, agora sabemos para onde devemos ir”, afirmou Bolsonaro.

Após a transmissão, o presidente concedeu um pronunciamento à imprensa em que leu seu discurso e voltou a usar seu slogan "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". "Não perdemos a convicção de que juntos poderíamos chegar nessa vitória. é com essa mesma convicção que afirmo para vocês que faremos um governo decente. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos", disse.

Segundo ele, "esse governo será defensor da Constituição, da democracia e da liberdade. Não é a palavra vã de um homem, é uma promessa diante de Deus". 

Comentários

Leia Também