Maduro confirma reuniões com o enviado de Trump para a Venezuela

O presidente venezuelano criticou a posição beligerante da administração de Donald Trump, mas não descartou o diálogo com seus funcionários

TeleSur

Wikimedia Commons
O líder venezuelano convidou Abrams a visitar a nação sul-americana e ratificou sua disposição de dialogar

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, revelou nesta quinta-feira (14/02) que o ministro das Relações Exteriores de seu país se reuniu recentemente em Nova York com o enviado especial dos Estados Unidos. para a Venezuela, Elliott Abrams, a quem o presidente convidou para visitar a nação sul-americana.

Durante uma entrevista com a Associated Press (AP), Maduro criticou a posição beligerante do presidente dos EUA, Donald Trump, em relação ao seu governo. Contudo, disse também que espera realizar uma reunião com Trump depois que o governo dos EUA reconheceu a autoproclamação do deputado da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, como "presidente encarregado" da Venezuela.

Na entrevista, o chefe de Estado venezuelano informou que seu ministro das Relações Exteriores convidou Abrams a visitar a Venezuela "em particular, em público, em segredo", sem restrições do lado venezuelano.

A última das duas reuniões aconteceu quatro dias depois que Abrams afirmou que havia passado o tempo para manter um diálogo com o governo do presidente Maduro.

Durante a entrevista, o chefe de Estado venezuelano disse que havia mecanismos "indiretos" para uma possível reunião em 2018 com Trump, embora isso não tenha se concretizado.

O presidente Maduro disse que todas as "fontes de inteligência" indicam que Trump está "enganado" sobre o que está acontecendo no país caribenho.

Comentários