Venezuela planeja dobrar exportação de petróleo para a Ásia

Evitando as medidas coercivas impostas pelo governo de Donald Trump, Venezuela planeja aumentar a exportação de petróleo bruto para o território asiático

TeleSur

Wikimedia commons
A Índia é o segundo comprador de petróleo venezuelano, atrás dos Estados Unidos, adquirindo mais de 300 mil barris por dia

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse na quinta-feira (14/02) que o país enviará para a Ásia uma produção de petróleo que tradicionalmente é enviada para os Estados Unidos.

O chefe de Estado venezuelano afirmou que esta estratégia é para aliviar o ataque das medidas coercivas impostas pelo governo dos Estados Unidos (EUA) contra o sistema de produção e exportação de petróleo do seu país.

"A Ásia seria o destino, estamos construindo a rota asiática há muitos anos, é uma rota bem-sucedida que exige mais e mais volumes e quantidades de petróleo", disse ele durante entrevista exclusiva à Associated Press (AP).

Nesse contexto comercial, a Venezuela considera o fortalecimento da exportação de petróleo para a Índia, já que é o maior consumidor desse item em todo o continente asiático e o segundo no mundo depois dos EUA.

Neste sentido, o chefe do Ministério do Petróleo e presidente da Petróleos de Venezuela (Pdvsa), Manuel Quevedo, expressou a intenção de fortalecer e dobrar a compra de petróleo bruto e seus derivados pela Índia.

"Estudamos a situação do fornecimento de petróleo bruto para a Índia, queremos dobrá-lo, bem como a compra de produtos para o mercado venezuelano", disse o ministro venezuelano do Petróleo.

Quevedo disse que o ministro das Relações Exteriores da Índia, Sushma Swaraj, ratificou sua disposição de aumentar o fluxo de comércio com a Venezuela.

Segundo dados da Administração de Informações sobre Energia dos EUA, a exportação de petróleo bruto venezuelano para a Ásia até 2017 foi de 47%, seguida pelos Estados Unidos com 41 por cento.

Comentários