Trump reconhece soberania de Israel sobre colinas de Golã, invadidas em 1967

Documento assinado por Trump reverte mais de meio século de política norte-americana para o Oriente Médio e faz agrado ao premiê Netanyahu

Redação

ANSA ANSA

Washington (Estados Unidos)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as colinas de Golã, região rica em recursos hídricos tomada da Síria em 1967.

O documento assinado por Trump reverte mais de meio século de política norte-americana para o Oriente Médio e faz um agrado ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, às vésperas das eleições legislativas de 9 de abril.

O reconhecimento já havia sido antecipado pelo presidente dos EUA na quinta-feira passada (21/03), levantando protestos de países como Rússia, Irã e Turquia. A soberania de Israel nas Colinas de Golã não é reconhecida pela comunidade internacional.

"Donald Trump é o melhor amigo que Israel jamais teve e manteve as promessas que fizera", celebrou Netanyahu, que está em visita oficial a Washington. O presidente já havia reconhecido Jerusalém como capital "única e indivisível" de Israel e transferido a embaixada americana no país de Tel Aviv para a cidade sagrada, cuja parte oriental é reivindicada pelos palestinos.

As colinas de Golã ficam a nordeste de Israel e foram tomadas da Síria em 1967, na Guerra dos Seis Dias, e anexadas em 1981. 

Amos Ben Gershom/GPO
Netanyahu e Trump em Israel em 2017: EUA reconhecem soberania de Israel sobre colinas de Golã

Comentários