Líder de esquerda da França convoca manifestantes para ato pela liberdade de Lula em Paris; mobilizações acontecem em outras cidades pelo mundo

'Lula é vítima de um ataque jurídico e midiático', disse o líder do partido França Insubmissa, Jean-Luc Mélanchon; estão previstas manifestações em diversas cidades pelo mundo

Redação

São Paulo (Brasil)

O líder do partido de esquerda francês França Insubmissa, Jean-Luc Mélanchon, convocou os cidadãos residentes de Paris para o ato pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que acontecerá neste domingo (07/04) na Esplanada do Trocadéro. A data marca um ano da prisão do ex-presidente e estão previstas manifestações pelo mundo todo.

"Lula é vítima de um ataque jurídico e midiático, um [caso de] lawfare, um pretexto jurídico. O processo difamatório e injusto de que Lula é vítima provoca indignação no Brasil e no estrangeiro", escreveu o político em suas redes sociais nesta quarta-feira (03/04).

Ainda segundo Mélanchon, "o juiz que dirigiu as investigações e condenou Lula foi Sergio Moro, o atual ministro da Justiça de Bolsonaro, principal beneficiário da prisão de Lula".

"Além disso, enquanto os grandes meios brasileiros e uma parte do poder Judiciário tentam destruir a imagem do ex-presidente, ele é nomeado para o prêmio Nobel da Paz devido à transformação social que ele provocou no Brasil e da luta contra a fome aqui e em outros países, uma das suas maiores heranças", disse.

Outras cidades

Segundo organizadores da Jornada Internacional pela liberdade de Lula, outras 36 cidades pelo mundo receberão atos em prol do ex-presidente.

A maior parte das manifestações será realizada no domingo, com atos já confirmados nas cidades europeias de Bruxelas, Berlim, Viena, Barcelona, Bonn, Coimbra, Lisboa, Amsterdã, Bolonha, Copenhague, Munique, Frankfurt, Hamburgo, Colônia, Manchester, Tübingen (Alemanha) e Aarhus (Dinamarca), além de novo ato em Madri. 

Fora da Europa, ocorrerão atos nas cidades de Montevidéu, Nova York, Los Angeles, Boston, Cidade do México, Sydney, Melbourne e Saint-Louis.

Além disso, está marcado para as 15h de domingo (11h no horário de Brasília), um ato em frente aos a sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra, na Suíça.

*Com Rede Brasil Atual

Wikicommons
'Lula é vítima de um ataque jurídico e midiático', disse o líder do partido França Insubmissa, Jean-Luc Mélanchon

Comentários

Leia Também