Evo Morales anuncia cooperação energética e científica com Argentina

Em encontro realizado nesta segunda-feira, Morales sinalizou que os acordos são um "começo no compartilhamento de ciência e biocombustível" entre os países

O presidente da Bolívia, Evo Morales, em viagem oficial à Argentina, anunciou nesta segunda-feira (22/04) que ambos os países irão trabalhar juntos nas áreas energética e científica.

"A Argentina tem muito progresso e estamos apenas começando com o que gostaríamos de compartilhar, seu conhecimento científico e biocombustível", disse Morales em declarações à imprensa.

No encontro com o presidente argentino, o mandatário boliviano anunciou, além da cooperação, a construção de três hospitais nucleares na Bolívia usando tecnologia argentina, e início da negociação para aquisição do avião Pampa 3. 

Para Morales, a Bolívia "demonstra interesse pela tecnologia argentina em um momento em que o país iniciou a industrialização de seus recursos naturais, pela primeira vez em nossa história"

Morales sinalizou que os novos acordos representam um mudança de orientação na busca por tecnologia nos mercados europeu, asiático ou norte-americano.

Do lado argentino, o presidente Mauricio Macri, declarou que a visita de Morales marca a profunda e histórica amizade que existe entre os países. E reflete a importância e volumosa comunidade boliviana que vive na Argentina.

O presidente boliviano anunciou que a estatal Campos Petrolíferos Fiscais da Bolívia (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos) irá comercializar gás natural diretamente com empresas privadas da Argentina. 

Os dois presidentes declararam continuar com o mecanismo que permite o intercâmbio de energia elétrica, o Memorando de Entendimento, assinado em 2015. A continuidade do acordo estabelece troca de energia elétrica no qual utiliza instalações desenvolvidas a 132 KV.

Morales e Macri reconheceram a importância do desenvolvimento de tecnologias para o crescimento sócio-econômico da população. 

E concluíram o encontro frisando a importância de obter instrumentos financeiros que facilite o comércio e investimento.

Reprodução
Evo Morales e Mauricio Macri no encontro realizado nesta segunda -feira na Argentina.

Comentários