Ex-presidente peruano PPK pode sofrer 'morte súbita', informa boletim médico

Kuczynski foi internado no dia 16 de abril, após ter sido preso de forma preventiva no dia 10 por supostas contribuições ilegais da Odebrecht

O ex-presidente do Peru Pedro Pablo Kuczynski, internado desde o dia 16 de abril, pode sofrer uma "morte súbita", informou um boletim médico emitido pela clínica particular onde PPK está hospitalizado. 

O documento, divulgado pela rádio peruana RPP nesta quinta-feira (26/04), afirma que o ex-mandatário sofre de "taquicardia ventricular esporádica com risco de descompensação diante de situações de stress, com potencial risco de fibrilação ventricular e morte súbita". PPK está preso de forma preventiva desde o dia 10 de abril.

Ainda segundo o boletim, Kuczynski apresenta um bloqueio aurículo-ventricular de primeiro grau e hipertensão arterial, obrigando o paciente "a permanecer na Unidade de Tratamento Intensivo [UTI] até controlar adequadamente as condições médicas mencionadas".

A defesa do ex-presidente entrou com um pedido junto ao Ministério Público peruano para que PPK seja transferido para prisão domiciliar devido a seu estado de saúde. O MP do país decidirá nesta sexta-feira (26/04) se aceita ou não o pedido da defesa.

Kuczynski cumpre uma ordem de prisão preventiva de 10 dias, no âmbito de um inquérito envolvendo a empreiteira Odebrecht. O ex-presidente é investigado pela Lava Jato no Peru por supostas contribuições ilegais da construtora brasileira.

Wikicommons
Kuczynski foi internado no dia 16 de abril, após ter sido preso de forma preventiva no dia 10

Comentários