Procuradoria da Suécia pede prisão de Assange por suspeita de estupro

'Se o tribunal decidir detê-lo, enviarei uma ordem de prisão europeia para que seja entregado à Suécia', disse procuradora-geral adjunta

A Procuradoria sueca apresentou nesta segunda-feira (20/05) uma ordem de detenção contra o fundador do portal Wikileaks, Julian Assange, por suspeita de estupro, afirmou o escritório da procuradora-geral em um comunicado.

“Pedi à Corte de Uppsala [ao norte de Estocolmo] que detenha Assange em ausência, suspeito de estupro em menor grau por causa provável. Se o tribunal decidir detê-lo, enviarei uma ordem de prisão europeia para que seja entregado à Suécia”, afirmou a procuradora adjunta, Eva-Marie Persson.

Por sua vez, o editor-chefe do Wikielaks, Kristinn Hrafnsson, afirmou que o caso de Assange foi “mal planejado o tempo inteiro”.

“Houve uma considerável pressão política sob a Suécia para que reabrisse a investigação”, disse. “Sempre houve pressão política em torno deste caso”, afirmou.

O jornalista australiano foi preso há um mês por agentes britânicos na Embaixada do Equador em Londres, onde se encontrava desde 2012, após o governo equatoriano retirar o asilo diplomático.

Assange cumpre uma condenação de 50 semanas na prisão de segurança máxima de Belmarsh, ao sul da capital britânica, por violação de liberdade condicional em 2012, e a Justiça norte-americana pede sua extradição.

(*) Com teleSUR

Reprodução
Assange foi preso em Londres em abril

Comentários

Leia Também