Partido de Macri vence em apenas uma das quatro províncias que realizaram eleições na Argentina

Partido Justicialista, de tendência peronista, ganhou nas outras três províncias; candidato que se elegeu em Jujuy, Gerardo Morales, declarou ao jornal Clarín que a 'realidade econômica' do país pode explicar os resultados

O partido do presidente da Argentina, Mauricio Macri, conseguiu vencer em apenas uma das quatro províncias que realizaram eleições provinciais neste domingo (09/06).

A coalizão do mandatário conquistou somente a província de Jujuy, que elegeu Gerardo Morales, com 43,39% dos votos.

O resultado representa uma nova derrota para o presidente e sua legenda, o Cambiemos, que, somente em 2019, perdeu o governo de 11 províncias. 

Por sua vez, o partido Justicialista, de tendência peronista, venceu nas províncias de Tucumán, Chubut e Entre Ríos.

Em Tucumán, Juan Manzur se elegeu com 59,04% votos e derrotou Silvia Elías de Pérez, candidata pelo Cambiemos, que obteve 18,6%.

Os candidatos vencedores das outras duas províncias, Chubut e Entre Ríos, tiveram respectivamente 37,59% e 59,1% na votação final. Em Chubut, o candidato do Cambiemos, Gustavo Menna, ficou em terceiro lugar.

Em Mendonza, ocorreram as primárias neste domingo. A eleição na província está marcada para acontecer no dia 29 de setembro.

Senado Federal/ Flickr
Por sua vez, o partido Justicialista, de tendência peronista, venceu nas províncias de Tucumán, Chubut e Entre Ríos

Realidade econômica

O candidato que se elegeu em Jujuy, Gerardo Morales, declarou ao jornal Clarín que a "realidade econômica" do país pode explicar os resultados do domingo. 

"A crise nos golpeou, e a crise cambial torna os pobres mais pobres e empobrece a classe média baixa. Essa é a primeira consequência de uma crise cambial. O desafio é ver se essa situação pode ser recuperada" afirmou Morales. 

Para o mandatário da província de Jujuy, a reeleição de Macri "depende" da economia para que o presidente consiga ir ao segundo turno. Ele enxerga que é arriscado uma "aposta" eleitoral visando somente o segundo turno.

Comentários