MP da Venezuela abre investigação contra aliados de Guaidó por esquema de corrupção

Segundo denúncia, grupo de opositores se apropriava do dinheiro para suposta 'ajuda humanitária' aos venezuelanos que estão na cidade colombiana de Cúcuta

O Ministério Público da Venezuela informou nesta terça-feira (18/06) que abriu uma investigação sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo membros do partido Vontade Popular e o deputado de direita Juan Guaidó, autoproclamado presidente do país, que consistia em desvio de dinheiro de supostas "ajudas humanitárias" para o grupo de opositores.

O Procurador Geral venezuelano, Tarek William Saab, declarou que a medida foi tomada após uma denúncia feita pelo jornal Panam Post. O periódico divulgou no último domingo documentos atribuídos a opositores de Maduro baseados em Cúcuta, cidade colombiana na fronteira com a Venezuela, que indicam um esquema de desvio de dinheiro. 

De acordo com o MP, Rossana Barrera e Kevin Rojas, ambos membros do Vontade Popular e nomeados por Guaidó como "representantes" de seu "governo" na Colômbia, eram responsáveis por desviar fundos ditos "humanitários" destinados para militares venezuelanos desertores que ingressaram no território colombiano. 

"Essas pessoas falsificaram faturas para parecer que pagavam hotéis onde os venezuelanos estavam hospedados quando, na verdade, eram cancelados pela Acnur (Alto Comissionado da ONU para Refugiados). Além disso, inflaram o número de supostos militares desertores para desviar o dinheiro", afirmou Saab

O procurador ainda afirmou que Rossana Barrera e Kevin Rojas serão acusados por corrupção e formação de quadrilha. 

Reprodução
Procurador da República afirma que Guiadó é o "autor intelectual" o grupo.

"Os promotores da destabilização ofereceram moradias e castelos para os militares para desertar do seu compromisso com a pátria e depois os deixaram na rua, enquanto se apropriaram do dinheiro alocado para fins inconfessáveis", relatou o funcionário. 

Saab ainda declarou que a investigação é necessária pois o dinheiro desviado é da Venezuela e solicitou ao governo colombiano que entregue possíveis evidências do esquema.

O procurador ainda acusou Guaidó de ser o mentor "intelectual" do esquema. Saab afirmou que Guaidó tem "apoio dos Estados Unidos e de outras potências estrangeiras" e que procurou "usurpar" a presidência da República.

Comentários

Leia Também