Guardian: diplomatas brasileiros se dizem 'enojados' com política externa de Bolsonaro e Araújo

Periódico lembra que nova política do Itamaraty caminha no sentido contrário da política tradicional do órgão e se aproxima de governos nacionalistas e personalidades da extrema direita

O jornal britânico The Guardian relatou, em reportagem publicada nesta terça-feira (25/06), a "perplexidade e indignação" de ex-embaixadores do Brasil com a gestão do ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e com a política externa do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Diplomatas ouvidos pelo jornal se dizem 'enojados' com a situação.

O periódico lembra que a nova postura do Itamaraty caminha no sentido contrário da política tradicional do órgão, de não se aproximar de governos nacionalistas e personalidades da extrema direita. 

Os ex-diplomatas enxergam com cautela a aproximação brasileira com políticos populistas da Polônia e da Hungria. Para o ex-embaixador do Brasil na China, Alemanha e nos Estados Unidos, Roberto Abdenur, o país só tem a a perder, não "ganhar nada".

Ao jornal, Marcos Azambuja, ex-secretário geral do Itamaraty e que também serviu como embaixador do Brasil na França e na Argentina, disse que nunca imaginou algo assim pudesse acontecer. "Houve uma mudança - e eu temo que seja uma mudança para o pior", afirmou.

O texto ainda afirma que a relação do Brasil com a China não agrada aos ex-embaixadores, já que os países sempre tiveram políticas e parcerias comerciais, que podem ser prejudicadas pelas declarações críticas a Pequim pelo presidente e pelo chanceler.

José Cruz/Agência Brasil
Ministro Ernesto Araújo: diplomatas se dizem 'enojados' com política externa do Brasil

A nomeação de Araújo como ministro da pasta "escandalizou o corpo diplomático do Brasil", disse ao jornal o ex-ministro Rubens Ricupero, que também foi embaixador Estados Unidos. Para ele, o diplomata sempre mostrou ser um funcionário de "nível médio". 

“O que eu ouço dos meus colegas que ainda estão na ativa é que entre os funcionários diplomáticos há uma rejeição quase completa do ministro e da linha atual... Ele não é levado a sério - dentro ou fora do ministério - porque ele representa uma espécie de seita, que os americanos chamariam de franja lunática”, disse Ricupero.

Ricupero diz, porém, que não está surpreso com o rumo que a política externa do governo Bolsonaro está tomando, e que funcionários do governo estão tentando agir para evitar mais danos. "Eles estão tentando - para usar um termo climático - mitigar, atenuar os efeitos. É um trabalho de mitigação", disse.

Comentários