Grupo de Lima tenta obstruir diálogos entre governo e oposição, diz embaixador da Venezuela

Embaixador venezuelano nas Nações Unidas, Samuel Moncada, disse que não aceitarão 'um ataque aberto contra a Venezuela'

O embaixador da Venezuela na ONU, Samuel Moncada, denunciou nesta sexta-feira (12/07) na sede das Nações Unidas, em Nova York, que o autodenominado Grupo de Lima, composto por países como Brasil, Colômbia, Peru, Argentina e EUA, está realizando ataques contra a mesa de diálogo permanente entre governo e oposição mediada pela Noruega.

"Existe um grupo de países e poderes políticos externos que querem levar a guerra à Venezuela. Dois particularmente: o governo dos EUA e o governo da Colômbia", disse Moncada.

O embaixador ainda afirmou que o Grupo de Lima conta com o auxílio do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, e o enviado especial dos EUA para Venezuela, Elliot Abrams.

"Apesar da ação de forças obscuras, o diálogo está em andamento, e é preciso defender o processo pacífico", disse o embaixador.

Moncada ainda destacou o comprometimento do governo venezuelano com os direitos humanos e que Caracas não aceitará "um ataque aberto contra a Venezuela".

Reprodução/Twitter
Embaixador venezuelano nas Nações Unidas, Samuel Moncada, disse que não aceitarão 'um ataque aberto contra a Venezuela'

Diálogo

O governo da Venezuela e a oposição decidiram nesta quinta-feira (11/07) pela instalação de uma mesa permanente de diálogo “para trabalhar pela paz”. A informação foi confirmada por Héctor Rodríguez, governador de Miranda e membro da delegação governamental das conversas em Barbados.

“Este não vai ser um caminho fácil, é um caminho que exige muito trabalho. Tenho a percepção de que as partes políticas do país poderemos chegar a um acordo de governabilidade em que nos reconheçamos mutuamente”, afirmou Rodríguez, após um ato de entrega de residências com o presidente Nicolás Maduro.

Por sua vez, o mandatário disse que teve “boas conversas” com o governo da Noruega. “Creio na diplomacia da paz, sou um homem de paz, a paz com igualdade, com justiça, com independência. Creio na paz para recuperarmo-nos, para reconstruir”, disse.

Sobre  os diálogos na Noruega, o presidente disse que estão sendo tratados seis temas dentro de uma agenda definida por governo, oposição e Oslo e que não se dirá, no momento, sobre o que está se falando.

O governo venezuelano vinha mantendo diálogos com a oposição na Noruega, os quais, posteriormente, foram transferidos a Barbados. Sobre isso, o presidente Maduro lembrou que os noruegueses também se envolveram na assinatura do acordo de paz na Colômbia.

*Com teleSur

Comentários