Após cúpula com premiê da Itália, von der Leyen propõe pacto sobre migração

País é conhecido por suas políticas restritivas a migrantes e posição xenófoba do ministro do Interior, Matteo Salvini

A presidente eleita da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, afirmou que irá propor uma "nova solução" para migração após se reunir nesta sexta-feira (02/07) com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte.

"Quero propor um pacto sobre migrações e asilo. Precisamos de uma nova solução. Queremos que os procedimentos sejam eficazes, efetivos, mas também humanos. Não é uma tarefa fácil, mas entendemos que não existem soluções fáceis", disse.

Após cúpula com o premiê no Palácio Chigi, em Roma, von der Leyen afirmou que "é necessário revisar o conceito de repartição. Sabemos que a Itália, a Espanha e a Grécia são geograficamente expostas. É fundamental garantir a solidariedade, que nunca é um processo unilateral".

A Itália é um dos países onde mais chegam embarcações com imigrantes do norte da África e do Oriente Médio. No entanto, há mais de um ano, com o governo de direita da Liga Norte e do Movimento 5 Estrelas (M5S), o país tem adotado medidas restritivas e impedido o desembarque dos passageiros.

Reprodução/Twitter
Após cúpula com o premiê no Palácio Chigi, em Roma, von der Leyen afirmou que irá propor uma "nova solução" para migração

"O meu objetivo político primário é superar as divisões entre norte e sul, leste e oeste, pequenos e grandes países", disse von der Leyen. "Uma UE unida precisa de uma Itália forte e próspera", afirmou a alemã.

Por sua vez, Conte aproveitou a reunião para ratificar os objetivos da Itália na UE. O governo já disse explicitamente que gostaria de assumir uma secretaria europeia de cunho econômico e reforçou o pedido nesta sexta-feira.

"Reivindicamos uma pasta econômica de primeiro plano, porque consideramos ser adequado para as ambições e responsabilidades que a Itália quer assumir. Estamos disponíveis a propor e concordar com um perfil de candidato que seja o mais adequado possível às competências da função, em nome do interesse da Itália e de toda a Europa", disse Conte.

O premiê ainda pediu que "as decisões tomadas pelas instituições europeias sejam tomadas e percebidas pelos cidadãos com cada vez mais clareza e transparência".

Comentários