Abdo Benítez não pode continuar comandando o país, diz senadora de esquerda do Paraguai

Ex-ministra da Saúde, Esperanza Martinez, da Frente Guasu, afirmou que 'não há como sustentar' o mandato do presidente nos próximos quatros anos

A senadora do Paraguai Esperanza Martinez afirmou nesta terça-feira (06/08) que o presidente Mario Abdo Benítez não pode mais "conduzir" o país após as revelações de conversas vazadas sobre os pontos de um acordo da hidrelétrica de Itaipu entre as chancelarias do paraguaia e brasileira.

Em entrevista ao canal Vozes Latinas, a ex-ministra da Saúde do governo do ex-presidente Fernando Lugo disse que, após o escândalo, criou-se uma crise de legitimidade e de governabilidade no país. Segundo a senadora, "não há como sustentar" o mandato do presidente nos próximos quatros anos. "Ele carece de autoridade moral, está sendo ridicularizado nas redes sociais", disse.

Com as conversas vazadas, a senadora afirmou que o Paraguai passa por uma instabilidade política por consequência dos negócios secretos entre as chancelarias. Ela ainda disse que toda a responsabilidade é de Benítez e que ele tinha total conhecimento sobre as negociações do acordo.

Wikimedia Commons
Oposição apresentou nesta terça-feira pedido de impeachment contra presidente paraguaio

Martinez, que faz parte da coalizão de centro-esquerda Frente Guasú, disse que será instalada uma comissão para que seja investigado o tratado que foi acordado entre os países. Ela ainda afirmou que terá uma fiscalização do Estado para checar se houve traição por parte do presidente. Na tarde desta terça-feira, a oposição apresentou um pedido de impeachment contra o presidente, o vice, Hugo Velázquez, e o ministro da Fazenda, Benigno López.

Na entrevista, Martinez comentou sobre a relação entre Benítez e o presidente brasileiro Jair Bolsonaro. A senadora disse que Bolsonaro representa um "alto retrocesso"para a democracia do Brasil.

Comentários