Marcos Corrêa/PR

Itamaraty concede passaporte diplomático ao pastor Valdemiro Santiago

Em 2016, Santiago teve passaporte diplomático suspenso, mas conseguiu um novo agora; decisão foi publicada no Diário Oficial da União

O pastor evangélico Valdemiro Santiago de Oliveira e a esposa, bispa Franciléia de Castro Gomes de Oliveira, ambos da Igreja Mundial do Poder de Deus, receberão passaportes diplomáticos do governo. A decisão, que veio do Ministério das Relações Exteriores, foi publicada nesta sexta-feira (09/07) no Diário Oficial. O líder evangélico esteve ao lado do presidente Jair Bolsonaro na Marcha para Jesus, em junho deste ano.

O pastor e sua esposa já haviam obtido o passaporte diplomático anteriormente. Porém, em 2016, a Justiça Federal em São Paulo suspendeu a concessão. No entanto, de acordo com o decreto assinado pelo ministro Ernesto Araújo, a concessão dos documentos se justifica porque “ao portar passaporte diplomático, seu titular poderá desempenhar de maneira mais eficiente suas atividades em prol das comunidades brasileiras no exterior”. O documento tem validade de três anos e não dá direito a privilégio ou imunidade no Brasil ou no exterior, mas facilidade na fila de imigração e isenção de visto de curta duração.

Pelas regras do decreto presidencial, apenas poderiam receber esse tipo de passaporte o presidente e o vice-presidente da República, ex-presidentes, governadores, ministros, ocupantes de cargo de natureza especial, militares em missões da ONU, integrantes do Congresso Nacional, ministros do Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República e juízes brasileiros em tribunais internacionais.

Outras lideranças evangélicas também receberam passaportes especiais este ano, como foi o caso do pastor R. R. Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus, e sua mulher, Maria Magdalena Soares, também integrante da igreja.

Comentários

Leia Também