Portugal decreta 'crise energética' por conta de greve dos caminhoneiros

Categoria ameaça parar a partir de segunda-feira (12/08); governo espera manter 'condições vitais' para segurança e saúde

O governo de Portugal decretou nesta sexta-feira (09/08) a situação de "crise energética" que entrará em vigor a partir da meia-noite deste sábado (10/08) por conta de uma ameaça de greve dos caminhoneiros que pode afetar o transporte de combustível no país.

"É inequívoco que se houver greve vão haver perturbações no conjunto das atividades econômicas. Agora, a partir do momento em que é estabelecida uma rede de postos de abastecimento estratégica, nós temos absolutamente asseguradas as condições vitais para a segurança, saúde, transporte de passageiros, para o fornecimento d’água, para a recolha do lixo", afirmou o ministro do Ambiente e da Transição Energética, Matos Fernandes.

Segundo o chefe da pasta, não há situação de anormalidade e "quem chegar a Portugal na próxima segunda-feira vai encontrar as cidades normais do ponto de vista do seu funcionamento".

Ainda nesta sexta-feira, o primeiro ministro de Portugal, Antonio Costa, decretou a formação de um gabinete de crise para tratar da ameaça de greve. A paralisação está marcada para começar na próxima segunda-feira, dia 12, por tempo indeterminado.

Flickr
Primeiro ministro de Portugal, Antonio Costa, decretou a formação de um gabinete de crise para tratar da ameaça de greve

Foi estabelecida a Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), formada por 374 postos. Do total, 54 vão ser exclusivos para viaturas da área da segurança e serviço público. Nos outros 320, destinados ao público em geral, a venda vai ser limitada em até 15 litros de gasolina ou diesel por veículo. Nos postos que não integram a REPA, veículos de passeio vão poder abastecer até 25 litros e viaturas pesadas até 100 litros.

*Com Sputnik

Comentários

Leia Também