Militares e civis concluem acordo de transição no Sudão

Junta militar será dissolvida neste domingo; novo governo será formado por civis e militares

A junta militar que governa o Sudão desde abril e a aliança de oposição da sociedade civil assinaram neste sábado (17/08) a "declaração constitucional", finalizando um acordo que abre caminho para a transferência do poder para civis.

O documento foi assinado por Mohamed Hamdan Daglo, o "Hemedti", número dois do conselho militar, e por Ahmed Al-Rabie, representante da Aliança pela Liberdade e pela Mudança (ALC), na presença de diversos chefes de Estado de outros países.

"O povo do Sudão lutou por quase 30 anos e a transição política no país pareceu um sonho impossível. Agora é necessário ter uma representação justa", disse Mohammad Naji Al Assam, representante da Associação de Profissionais Sudaneses.

Rperodução
Após a assinatura do acordo, milhares de pessoas encheram as ruas da capital Cartum para celebrar

Após a assinatura do acordo, milhares de pessoas encheram as ruas da capital Cartum para celebrar. A junta militar será dissolvida neste domingo (18/08) e o órgão supremo que governará o país pelos próximos três anos será formado nos próximos dias. O conselho terá cinco militares e outros cinco civis.

A crise pelo poder no país africano começou quando o então presidente Omar al Bashir foi deposto em 11 de abril, após quatro meses de protestos populares contra um regime que vigorou por 30 anos.

*Com Ansa

Comentários