Premie britânico segue Macron e chama queimadas na Amazônia de 'crise internacional'

Jonhson não é o primeiro líder mundial a demonstrar preocupação com a situação na Amazônia: além dele, Macron, Merkel e Trudeau falaram sobre o assunto

Atualizada `às 12h45

O premiê britânico Boris Johnson se disse “profundamente preocupado” com as queimadas na Amazônia e apoiou a ideia do presidente francês, Emmanuel Macron, de discutir o assunto durante a reunião do G7, neste final de semana, em Biarritz, na França. Segundo ele, os incêndios são uma "crise internacional", a exemplo do que o mandatário francês havia dito.

"Os incêndios devastando a floresta Amazônica não só partem o coração, são uma crise internacional. Estamos prontos para prover qualquer ajuda que pudermos para controlá-los e ajudar a proteger uma das grandes maravilhas da Terra", disse o premiê, pelo Twitter.

Mais cedo, o porta-voz do governo britânico disse que Johnson se preocupa com o "impacto dessa trágica perda desses habitats preciosos".

“O primeiro ministro está profundamente preocupado pelo aumento dos incêndios na Amazônia e o impacto dessa trágica perda desses habitats preciosos. O efeito dessas queimadas será sentido em todo o mundo, motivo pelo qual precisamos de ações internacionais para proteger as florestas do mundo. O Reino Unido continuará a apoiar projetos no Brasil que o façam, e o primeiro-ministro irá usar o G7 para pedir por foco renovado na proteção da natureza e no combate à mudança climática.”

Jonhson não é o primeiro líder mundial a demonstrar preocupação com a situação na Amazônia. A chanceler alemã Angela Merkel, por meio de seu porta-voz, Steffen Seibert. “A magnitude dos incêndios é preocupante e ameaça não só o Brasil e os outros países afetados, mas também o mundo inteiro”, afirmou.

Por sua vez, o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau disse que “não poderia concordar mais” com Macron sobre debater as queimadas na Amazônia. Nós trabalhamos muito para proteger o ambiente no G7 no ano passado em Charlevoix [Canadá], e precisamos que isso continue neste fim de semana. Precisamos agir pela Amazônia e agir pelo nosso planeta — nossos filhos e netos contam conosco."

Ben Shread
Jonhson se disse preocupado com queimadas na Amazônia

Incêndios

A Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) divulgou na noite desta quarta-feira (21/08) imagens de satélite que mostram uma nuvem de fumaça sobre os Estados de Amazonas, Mato Grosso e Rondônia.

Por sua vez, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontou um crescimento de 83% nas queimadas desde o início de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O Brasil está sob intensa pressão internacional por conta das queimadas na Amazônia. Esta época é, naturalmente, de incêndios na região, mas os dados mostram que eles estão acontecendo em números acima dos esperados. 

Sem provas, Bolsonaro chegou a dizer que ONGs poderiam estar causando os incêndios na região, o que não encontra base na realidade.

Comentários

Leia Também