Manifestantes vão às ruas em diversas cidades pelo mundo contra incêndios na Amazônia

Foram registrados atos em cidades como Londres, Paris e Barcelona; tema ganhou destaque após o Inpe apontar um crescimento de 83% nas queimadas

Manifestantes organizaram nesta sexta-feira (23/08) diversos protestos pela preservação da Amazônia em embaixadas brasileiras em várias cidades pelo mundo. Foram registrados atos em cidades como Londres, Paris e Barcelona.

As mobilizações ocorrem após incêndios atingirem parte da Floresta Amazônica. Na última semana, o tema ganhou destaque após o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontar um crescimento de 83% nas queimadas desde o início de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Em Barcelona, na Espanha, cerca de 200 pessoas se reuniram em frente ao consulado para protestar contra a postura do presidente Jair Bolsonaro em relação aos incêndios. Formado por brasileiros e estrangeiros, o grupo levantou cartazes pedindo a preservação da floresta e gritaram palavras de ordem como "fora, fascistas" e "fora, Bolsonaro".

As declarações do mandatário sobre as queimadas aumentaram a pressão internacional sob o Brasil cobrando uma postura de preservação da Amazônia. Sem provas, o presidente chegou a dizer que ONGs poderiam estar causando os incêndios na região.

Em Londres, a mobilização em frente à embaixada brasileira foi organizada pelo movimento ambientalista Extinction Rebellion e contou com a presença de jovens, estudantes e famílias. "Salvem a Amazônia", "parem com a destruição agora" e "fora, Bolsonaro" foram algumas palavras de ordem entoadas pelos manifestantes. 

O premiê britânico, Boris Johnson, se pronunciou nesta sexta-feira sobre os incêndios e disse estar "profundamente preocupado" com as queimadas na Amazônia. Além de Johnson, a chanceler alemã Angela Merkel também lamentou o episódio e disse que "a magnitude dos incêndios é preocupante e ameaça não só o Brasil e os outros países afetados, mas também o mundo inteiro".

Em frente à embaixada de Paris, na França, centenas de manifestantes seguraram cartazes pedindo mais empenho no combate ao desmatamento. "A terra para aqueles que se importam com isso", dizia uma faixa levantada por membros do coletivo francês do movimento Extintion Rebellion.

Reprodução/Extintion Rebellion
Em frente à embaixada de Paris, na França, centenas de manifestantes seguraram cartazes pedindo mais empenho no combate ao desmatamento

O presidente da França, Emmanuel Macron, condenou os incêndios na Amazônia ainda nesta quinta-feira (22/08) e convocou os membros do G7 a discutirem o tema com urgência durante a próxima cúpula que acontece neste sábado (24/08). 

Em Tel Aviv, a embaixada brasileira amanheceu cercada por manifestantes pedindo atitudes do governo brasileiros com relação ao que chamaram de "crime ecológico". O grupo ainda cobrou do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, "que se orgulha de sua estreita relação com Bolsonaro", uma reação aos incêndios na Amazônia.

Ainda estão programados atos em Mumbai, na Índia, em Berna, na Suíça, em Amsterdã, na Holanda, em Madri e Barcelona, na Espanha, e em Dublin, na Irlanda. No Brasil, pelo menos 40 cidades já possuem protestos confirmados. São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Natal, Manaus, Salvador, são algumas das capitais onde ocorrerão atos.

Comentários