Hoje na História: 1918 - Lenin sobrevive a atentado em Moscou

Hoje na História: 1918 - Lenin sobrevive a atentado em Moscou

Max Altman

Em 30 de agosto de 1918, após discursar numa fábrica em Moscou, o líder soviético Vladimir Lenin é alvejado duas vezes por Fanny Kaplan, membro do Partido Social Revolucionário. Lenin ficou seriamente ferido, mas sobreviveu ao ataque. A tentativa de assassinato desencadeou uma onda de represálias dos bolcheviques contra os social-revolucionários e outros oponentes políticos, enquanto prosseguia a guerra civil na Rússia.

Wikicommons

Fanny Kaplan, membro do Partido Social Revolucionário

Fanny Iefimovna Kaplan nasceu no seio de uma família de camponeses judeus, de sete irmãos. Converteu-se em revolucionária tardiamente, militando em grupos anarquistas dantes de aderir a um grupo socialista, o Partido Social-Revolucionário. Em 1906, Kaplán participou do atentado frustrado de um servidor público. Foi presa e condenada à prisão perpétua num campo de trabalho forçado na Sibéria. Foi libertada quando a Revolução de Fevereiro depôs o czar. Por causa da prisão, passou a sofrer de enxaqueca e cegueira intermitente.

Depois da Revolução de Outubro, ela acabaria desiludida com Lenin por causa do conflito entre os social-revolucionários e o partido bolchevique. Este tinha um forte apoio entre os sovietes, que Lenin tinha considerado como o único caminho para o governo pós-revolucionario. No entanto, nas eleições para a assembleia constituinte, em novembro de 1917, os bolcheviques não conseguiram maioria absoluta. Um social-revolucionário foi nomeado presidente da assembleia em janeiro de 1918. Nos meses seguintes, os confrontos entre socialistas e bolcheviques levaram ao banimento de todos os partidos exceto o do governo. Kaplan decidiu então assassinar Lenin.

Naquele dia, Lenin tinha acabado de dar um discurso em uma fábrica de Moscou. Quando saiu, antes de entrar no carro, Kaplan gritou seu nome. Ao virar, ela disparou três tiros: um atravessou o casaco de Lenin; os outros dois atingiram o ombro e o pulmão esquerdo dele.

Leia mais:
Hoje na História: 1917 - Lenin volta do exílio para organizar a Revolução Russa
Hoje na História: 1917 - Bolcheviques tomam o poder na Rússia
Hoje na História: 1924 - Morre Lenin, o líder da Revolução Russa

Lenin foi imediatamente levadado para seus aposentos no Kremlin. Temia que houvesse outros conspiradores tramando seu assassinato e, de início, se negou a receber atendimento médica num hospital. Apesar da gravidade dos ferimentos, Lenin sobreviveu, mas não se recuperou totalmente. Acredita-se que o atentado tenha influenciado a série de problemas de saúde que vieram depois.

Kaplan foi presa e interrogada pela Tcheka (polícia política). Sua confissão foi concisa: "Meu nome é Fanny Kaplan. Hoje atirei em Lenin. Fiz isso com meus próprios meios. Não direi quem me forneceu a pistola. Não darei nenhum detalhe. Tomei a decisão de matar já Lenin faz muito tempo. Considero-o um traidor da Revolução". Foi executada em 3 de setembro.



Outros fatos nesta data:
1938 - Pacto de Munique entrega Tchecoslováquia ao comando de Hitler
1880 - O chefe indígena apache Diablo é assassinado nos EUA.
1914 - Vitória surpreendente em Tannemberg, onde na Primeira Guerra Mundial os alemães batem os russos um mês após a abertura das hostilidades.
1963 - Entra em serviço o "Telefone Vermelho" ligando a Casa Branca ao Kremlin.



Siga o Opera Mundi no Twitter

Comentários