Parlamento do Reino Unido obriga Johnson a divulgar termos de Brexit sem acordo

Proposta aprovada também força governo conservador a publicar toda 'correspondência e comunicação' interna referente à decisão de suspender Parlamento

O Parlamento do Reino Unido aprovou nesta segunda-feira (09/09) uma moção que obriga o primeiro-ministro Boris Johnson a divulgar os termos do documento de uma possível saída sem acordo da União Europeia.

Por 311 votos favoráveis contra 302, a moção também força o governo conservador a publicar toda a "correspondência e comunicação" interna referente a decisão tomada por Johnson de suspender o parlamento até o dia 31 de outubro, prazo para o Brexit.

A aprovação da medida simbolizou uma derrota para o premiê que esperava poder votar mais uma vez a sua proposta de convocar eleições gerais.

Segundo o jornal The Guardian, o gabinete de Johnson irá recorrer da decisão que prevê a publicação de mensagens privadas, incluindo de chats e e-mails institucionais.

UK Parliament
Proposta aprovada também força governo a publicar toda 'correspondência e comunicação' interna referente à suspensão do Parlamento

Renúncia

Mais cedo, o presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, anunciou que vai renunciar ao cargo até, no máximo, o dia final marcado para o Brexit - 31 de outubro -  ou mesmo antes, se houver eleições gerais antecipadas no país. 

"Se a Casa não votar, concluo que o curso de ação menos perturbador e mais democrático seria eu desistir no encerramento das negociações na quinta-feira, 31 de outubro", disse Bercow, que ficou famoso pelos pedidos de ordem durante as sessões.

O presidente da Casa afirmou que havia prometido aos seus familiares que permaneceria por 10 anos no cargo. "Nas eleições de 2017, prometi a minha esposa e filhos que seria o meu último mandato".

Comentários