EUA voltam atrás e se recusam a endossar entrada do Brasil na OCDE

Em carta enviada ao secretário-geral da OCDE Angel Gurria, em 28 de agosto, secretário de Estado Mike Pompeo rejeitou pedido para discutir mais ampliações no clube

O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusou a endossar a tentativa do Brasil de ingressar na Organização de Cooperação e Desenvolvimento (OCDE). Trata-se de uma reversão após meses de apoio público das principais autoridades, inclusive do próprio Trump.

Segundo uma cópia de uma carta enviada ao secretário-geral da OCDE Angel Gurria, em 28 de agosto, o secretário de Estado Mike Pompeo rejeitou um pedido para discutir mais ampliações do clube dos países mais ricos. 

"Os EUA continuam a preferir o alargamento a um ritmo medido que leva em consideração a necessidade de pressionar pelo planejamento de governança e sucessão", afirmou a carta. O teor do documento foi publicado nesta quinta-feira (10/10) pela Bloomberg News.

A emissora afirma que os EUA, no entanto, reiteraram apoio para a inclusão da Argentina e da Romênia no grupo. O Brasil fez seu pedido para entrar na organização em maio de 2017.

Alan Santos/PR
Bolsonaro e Trump se encontraram na Casa Branca, em março; durante a vista, norte-americano prometeu apoio

"Ou Trump não está nem aí para Bolsonaro, ou a burocracia do governo americano não está nem aí para Trump", disse o ex-chanceler brasileiro Celso Amorim ao site Brasil 247.

Em março, Trump afirmou, em entrevista coletiva à imprensa com Bolsonaro na Casa Branca, que apoiaria o Brasil na adesão ao grupo de 36 membros. Em julho, o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, havia reiterado o apoio de Washington ao Brasil durante uma visita a São Paulo.

Em troca, o Brasil se comprometeu a abrir mão do tratamento especial do qual se beneficiava na OMC (Organização Mundial do Comércio), enquanto economia em desenvolvimento.

(*) Com Brasil 247

Comentários