'Há uma nova expansão capitalista que deseja a subordinação das mulheres', diz Silvia Federici; assista em vídeo

'O capitalismo, uma vez mais, vê a mulher como um sujeito rebelde, como um sujeito que deve ser, de novo, subordinado e conquistado', diz escritora

Fernanda Forgerini

São Paulo (Brasil)

A filósofa Silvia Federici afirmou, em entrevista a Opera Mundi, que existe uma "nova expansão capitalista que deseja a subordinação das mulheres". A escritora, que atualmente é professora emérita da Universidade de Hofstra, em Nova York, nos Estados Unidos, disse ainda que há uma caça às bruxas de mulheres em vários países do mundo.

"O capitalismo, uma vez mais, vê a mulher como um sujeito rebelde, como um sujeito que deve ser, de novo, subordinado e conquistado. Porque a mulher tem lutado por mais autonomia, sobre o controle dos nossos corpos, por um processo de autodeterminação", afirmou Federici.

Com três livros lançados no Brasil - Calibã e a BruxaO Ponto Zero da Revolução (Editora Elefante) e Mulheres e Caça às Bruxas (Boitempo) - a autora afirmou que a "caça à bruxa hoje é muito, muito atual. E é atual também porque há um incremento de violência geral contra as mulheres".

"É uma resposta pela busca de autonomia e também a luta que a mulher está fazendo em defesa de sua comunidade, em defesa, por conta dos programas de austeridade, à destruição do meio ambiente e da natureza", disse.

Reprodução
Opera Mundi entrevistou a filósofa Silvia Federici

Assista à entrevista em vídeo:


Comentários