Argentina reclama de 'frases inapropriadas' de Bolsonaro sobre Fernández

Chanceler enviou carta a embaixador do Brasil em Buenos Aires em protesto formal contra ataques do presidente brasileiro ao peronista vencedor das eleições

O ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie, anunciou nesta quita-feira (31/10) que enviou uma carta pessoal ao embaixador do Brasil em Buenos Aires, Sergio Danese, em sinal de protesto contra as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre a vitória do peronista Alberto Fernández nas eleições presidenciais do país realizadas no último domingo.

Segundo o chanceler, o envio da mensagem foi aprovada pelo próprio mandatário argentino Mauricio Macri, que autorizou o protesto formal para contribuir para a transição de governo de forma organizada. Fernández assume o posto no dia 10 de dezembro.

"Não podemos ficar limitados a pequenas frases, às vezes inapropriadas, para solucionarmos isso. Existem canais para fazer conhecer a posição do governo argentino, porque tanto o Brasil como a Argentina estamos relacionados com o mundo através de nosso relacionamento bilateral. Comentei isso em ma nota de caráter pessoal que enviei ontem [quarta-feira] ao embaixador do Brasil sobre algumas coisas que aconteceram ontem", afirmou o chanceler em pronunciamento oficial na Casa Rosada, sede do governo argentino.


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


De acordo com o ministro, a mensagem também representou um protesto contra os ataques do deputado Eduardo Bolsonaro ao filho do presidente eleito da Argetina, Estanislao Fernández. Na última terça-feira (29/10), o parlamentar de extrema direita compartilhou uma publicação no Twitter comparando uma foto sua, cercado de armas, com uma foto de Estanislao, fazendo "cosplay" de Pikachu, personagem do desenho animado Pokémon. 

"Acredito que devemos encarar isso de modo adequado. Neste momento de transição, a maior contribuição que este governo pode fazer é deixar seu sucessor no melhor nível possível e com sua melhor capacidade de diálogo", disse Faurie.

Flickr
Chanceler argentino, Jorge Faurie, enviou carta a embaixador do Brasil em Buenos Aires em protesto formal

Jair Bolsonaro foi o único líder de uma nação a se recusar a cumprimentar Fernández pela vitória nas eleições argentinas. O presidente brasileiro ainda chamou de “afronta à democracia brasileira” o fato de Fernández apoiar a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “É um afronto [sic] à democracia brasileira e ao sistema judiciário brasileiro. Ele está afrontando o Brasil de graça”, disse.

Uruguai convoca embaixador

Ainda nesta quinta-feira, o Ministério das Relações Exteriores do Uruguai convocou o embaixador do Brasil no país, Antonio Simões, para que o diplomata esclarecesse o comentário sobre as eleições no país que o presidente Jair Bolsonaro fez em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo. 

Em entrevista ao periódico brasileiro nesta terça-feira (29/10), em uma resposta sobre economia, Bolsonaro disse que preferia uma vitória da oposição - representada no segundo turno pelo candidato de direita Luis Lacalle Pou, que disputa o cargo contra Daniel Martínez, da Frente Ampla -, pois ela seria "mais alinhada com nossos pensamentos liberais e econômicos". "Esperamos, torcemos que aconteça a eleição de alguém ligado ao nosso time, aí teríamos o Uruguai afinado conosco", disse.

"Foi solicitado explicações sobre as declarações feitas pelo Sr. Presidente Jair Bolsonaro relacionadas ao processo eleitoral que ocorre em nosso país", disse a chancelaria, em nota.

A convocação de um embaixador para dar explicações é um gesto forte por parte de um país e uma maneira de demonstrar descontentamento.

Comentários

Leia Também