Ex-presidente sudanês Omar al Bashir é condenado a dois anos de prisão

Essa é a primeira sentença de uma série de processos contra o homem que governou um dos maiores países da África por 30 anos, até ser deposto, em abril passado

Redação

ANSA ANSA

Cartum (Sudão)

Um tribunal do Sudão condenou neste sábado (14/12) o ex-ditador Omar al Bashir a dois anos de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção.

Essa é a primeira sentença de uma série de processos contra o homem que governou um dos maiores países da África por 30 anos, até ser deposto, em abril passado.

Bashir também é alvo de um mandado de prisão do Tribunal Penal Internacional (TPI) de Haia por crimes de guerra e genocídio em Darfur, região desértica situada no oeste do Sudão, e é acusado pela morte de manifestantes nos protestos que antecederam sua queda.

Wikimedia Commons
Al Bashir foi condenado a dois anos de prisão

O ex-presidente de 75 anos está sob custódia desde abril e será colocado em uma prisão de segurança mínima para criminosos idosos.

A acusação de lavagem de dinheiro foi apresentada após a descoberta de milhões de dólares, euros e libras sudanesas em sua residência, mas ainda cabe recurso em tribunais superiores.

A revolta contra Bashir teve início em dezembro passado, em função do aumento do custo de vida no país, e só terminou quando os militares que derrubaram o ex-presidente aceitaram dividir o poder com civis em um governo de transição.

As Forças Armadas disseram que não entregarão Bashir ao TPI, mas o gabinete de transição ainda não se pronunciou. 

Comentários