Hoje na História: 1943 - Comando nazista liberta Mussolini de prisão na Itália

Hoje na História: 1943 - Comando nazista liberta Mussolini de prisão na Itália

Max Altman

Em 12 de setembro de 1943, homens da SS nazista, comandados por Otto Skorzeny e a mando de Adolf Hitler, libertam Benito Mussolini, prisioneiro desde julho no Abruzzo, região no norte da Itália.

Wikicommons

Mussolini (de preto) logo após sua libertação na operação de resgate liderada por Otto Skorzeny (centro)

A operação começou às cinco da manhã, quando Skorzeny marchou com seus 17 Waffen-SS em direção à pista de pouso de Pratica di Mare, aeródromo localizado no litoral sul de Roma. A confusão durante o vôo e as nuvens que cobriam os picos das Montanhas Abruzzi, no Piemonte, criaram certo tumulto ao plano de Skorzeny. O nono e o último dos planadores teve de realizar pouso de emergência nas laterais da montanha, a cerca de 400 metros do hotel no Gran Sasso, onde estava Mussolini. O grupo de Skorzeny já havia entrado no prédio, diante de alguns guardas italianos atônitos. Até aquele momento nenhum tiro havia sido disparado. Skorzeny ordenou que seus homens só abrissem fogo caso fossem atacados.

Tudo aconteceu rapidamente. Galgando o terraço lateral do hotel, Skorzeny logo vislumbrou a figura de Mussolini, olhando calmamente a paisagem de uma sacada. Gritou que saísse dali e entrasse no quarto. Skorzeny temia que os guardas tivessem ordem para matá-lo no caso de uma tentativa de resgate. Quando Skorzeny entrou no aposentos de Mussolini, viu dois jovens tenentes italianos, que imediatamente se renderam. Skorzeny diante de Mussolini exclamou: "Duce, o Führer enviou-me. Você está livre!"

Agora era preciso transportar o ditador de volta a Roma. Por terra, atravessando um território hostil, seria impossível. Restavam duas alternativas: o lançamento de pára-quedistas sobre o aeródromo de Aquila de Abruzzi, onde eles controlariam a pista de pouso até que um avião pudesse pousar e levar Mussolini ou a retirada de Mussolini por meio de uma aeronave leve, que voaria até o sopé do Gran Sasso. Como as comunicações eram ruins, a primeira hipótese foi logo descartada.

Skorzeny exigiu ir junto, embora o avião só tivesse dois lugares. A decolagem foi dramática: 12 pára-quedistas seguravam a aeronave, enquanto o piloto acelerava. Com um sinal, os homens largaram a aeronave e o aparelho iniciou a sua corrida pela pista improvisada até que voou.

Leia mais:
Hoje na História: Áustria é unificada à Alemanha nazista 
Hoje na História: Itália declara guerra contra a Alemanha nazista
Hoje na História: Fascistas marcham sobre Roma e tomam o poder na Itália

Após pousarem em Pratica di Mari, Skorzeny e Mussolini foram transferidos para outro avião, até Viena. O Duce foi então imediatamente transferido para Berlim. A propaganda nazista utilizou muito essa missão para exaltar Skorzeny.

Saló

Como o novo governo italiano fez as pazes com os aliados, os alemães reagiram de modo bárbaro: os milhares de soldados italianos que se renderam foram enviados como escravos para trabalhar na Alemanha. A parte da Itália que ficou sob domínio alemão sofreu todas as violências de uma ocupação nazista.

Mussolini recebeu de presente uma pequena região no norte da Itália, onde criou a República de Saló. Este simulacro de governo não sobreviveu à derrota alemã. Em abril de 1945, Mussolini tentou fugir para a Suíça com a amante, Claretta Petacci, mas guerrilheiros italianos prenderam o casal e assassinaram os dois em 27 de abril, três dias antes de Hitler se suicidar. Os corpos de Mussolini e Claretta foram pendurados de cabeça para baixo para exposição pública na cidade de Milão.


Outros fatos marcantes da data:
12/9/1936 - Nascia a Rádio Nacional do Rio de Janeiro 
12/9/1986 - EUA instituem pena de morte para traficantes de tóxicos
12/9/2000 - Holanda aprovam lei que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo e concede a casais homossexuais o direito de adotar



Siga o Opera Mundi no Twitter

Comentários