Muçulmano é esfaqueado em mesquita de Londres; internauta fala em ataque 'terrorista branco racista'

'Um terrorista branco racista entrou na mesquita do Regent's Park durante a oração de Asr e esfaqueou o 'muezzin' no pescoço', disse um membro da comunidade muçulmana

Redação

RFI RFI

Paris (França)

Um homem foi detido depois de atacar um muçulmano com uma faca na mesquita central de Londres. Segundo comunicado da Scotland Yard, o agressor foi preso por "suspeita de tentativa de assassinato". A vítima, que não corre risco de morte, é um idoso de 70 anos.

A polícia britânica não trata o caso, por enquanto, como um ataque terrorista. Segundo a Scotland Yard, o agressor, de 29 anos, teria entrado no local para assistir a uma oração. Depois de atacar o idoso no pescoço com uma faca, ele foi dominado pelos fiéis que estavam presentes até a chegada da polícia. O incidente aconteceu por volta de 15h pelo horário local de Londres.

Um fiel, que assistiu à cena, postou imagens no Twitter, nas quais se vê um homem caído no chão, vestido com uma moleton vermelho, com capuz. Ele explicou que o idoso ferido era o religioso encarregado de fazer o chamado em árabe ("muezzin") para a oração desta sexta-feira (20/02) no templo muçulmano.


FORTALEÇA O JORNALISMO INDEPENDENTE: ASSINE OPERA MUNDI


"Um terrorista branco racista entrou na mesquita do Regent's Park durante a oração de Asr (reza da tarde), hoje, e esfaqueou o 'muezzin' no pescoço", disse o internauta, que se apresenta sob o nome de Murshid na rede social. "É absolutamente terrível. Nenhum muçulmano está seguro em seu local de culto!", acrescentou.

Flickr/CC
Polícia britânica não trata o caso, por enquanto, como um ataque terrorista

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse pelo Twitter estar "profundamente entristecido" com o incidente. "É realmente horrível que uma coisa dessas possa acontecer, ainda mais em um local de culto. Meus pensamentos vão para a vítima e para todas as pessoas atingidas", completou Johnson.

Outra testemunha do ataque, Abi Watik, 59 anos, afirma que o agressor frequentava a mesquita e tinha sido visto no local há cerca de 6 meses. Watik relatou à agência britânica PA que os fiéis ficaram chocados num primeiro momento, sem entender o que estava acontecendo. "Ele [o agressor] estava atrás de mim e, de repente, apunhalou [a vítima] na altura do ombro, sem dizer nada".

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, que é muçulmano, declarou estar profundamente preocupado com o episódio. "Todo londrino tem o direito de se sentir em segurança em um local de culto religioso e quero dar garantias às comunidades de Londres de que atos de violência não serão tolerados", escreveu Khan no Twitter.

Comentários