Mugabe culpa sanções de potências por situação do Zimbábue

Mugabe culpa sanções de potências por situação do Zimbábue

Agência Efe

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, disse nesta terça-feira (21/9) na tribuna da ONU que o subdesenvolvimento de seu país é culpa das "ilegais e desumanas" sanções impostas pelo ocidente.

"Apesar dos grandes esforços, ainda estamos longe de nossas metas devido às sanções ilegais impostas a nosso país e, em consequência, o índice de pobreza continua sendo alto", afirmou Mugabe em seu discurso no segundo dia da cúpula da ONU sobre as chamadas Metas do Milênio.

A União Europeia impôs, há quase dez anos, sanções pessoais - suspensão de contas no exterior e proibições de viagens - a Mugabe e seu círculo de colaboradores (cerca de 200 pessoas) devido à falta de democracia e abusos dos direitos humanos cometidos pelo regime do país.

Leia mais:
Rússia pede fim de sanções unilaterais contra países pobres

Os EUA, assim como outras potências ocidentais, também aplicam sanções políticas e econômicas contra o governo de Robert Mugabe. O presidente do Zimbábue ressaltou na ONU que, embora seu país tenha recursos, necessita do apoio da comunidade internacional para potencializar o nível de vida de sua população.

Expansão

Mugabe fez uma exposição dos avanços registrados nos oito metas do milênio marcados pela ONU há dez anos, entre os quais figura a erradicação da fome e da pobreza no mundo até 2015. Citou entre as conquistas que, desde a independência, em 1980, houve "uma expansão em massa" do ensino primário, médio e superior, e um grande investimento em capital humano, assim como nos programas preventivos de doenças como a Aids.

"Meu país está convencido de que os metas do milênio são alcançáveis, mas é necessário um compromisso político, particularmente por parte dos países desenvolvidos", reivindicou.


Siga o Opera Mundi no Twitter 


Comentários