Paralisação na França impede jornal Le Monde de circular

Paralisação na França impede jornal Le Monde de circular

Redação

A série de paralisações na França contra a reforma da Previdência que já atingiu refinarias, escolas e transportes afetou também a imprensa. Nesta terça-feira (19/10), o Le Monde, maior jornal diário do país, decidiu disponibilizar de forma gratuita em seu site a edição impressa desta quarta-feira porque não conseguiu imprimi-la . O jornal que deveria chegar às bancas pode ser acessado em arquivo PDF no site do Le Monde.

"Em razão do movimento de greve que atinge o conjunto de jornais nacionais, o Le Monde de quarta-feira 20 de outubro não pode ser impresso", informa o jornal a seus leitores no site.

Leia mais:
França enfrenta novo dia de paralisações e protestos contra reforma da previdência
Protestos de caminhoneiros bloqueiam estradas da França
Franceses entram em greve contra reforma da previdência

A França entra hoje no sétimo dia de greves e protestos contra a reforma no sistema previdenciário. Manifestantes pressionam o governo a desistir de elevar a idade mínima para aposentadoria de 60 para 62 anos e de 65 para 67 anos, no caso dos que não atingiram o tempo de contribuição exigido.

O presidente Nicolas Sarkozy, de centro-direita, disse ainda que vai trabalhar com as forças de segurança do país para fazer frente a atos de violência. O governo colocou policiais nas ruas para tentar desbloquear os três mais importantes depósitos de combustível do país, na noite desta terça-feira. Os locais tinham sido fechado por barricadas, segundo o ministro do Interior, Brice Hortefeux. O bloqueio de alguns depósitos de combustível e a greve das 12 refinarias do país já deixaram sem combustível 4 mil dois 12.500 postos franceses.



Siga o Opera Mundi no Twitter

Comentários