África do Sul: Em campanha contra HIV, atores de filmes pornô usam camisinha em cena

África do Sul: Em campanha contra HIV, atores de filmes pornô usam camisinha em cena

Thaís Romanelli

O produtor de filmes pornôs Tau Morena, primeiro a elaborar vídeos exclusivamente com atores negros na África do Sul, determinou que os atores que trabalham para ele devem utilizar preservativo em cenas de sexo para prevenir a transmissão do HIV e também conscientizar os espectadores sobre a importância do sexo seguro.

"Eu não acho que qualquer quantidade de publicidade vá forçar as pessoas a usarem preservativo", disse ele em entrevista a rede de notícias BBC. "Mas nós, definitivamente, temos a responsabilidade de encorajar as pessoas".

De acordo com dados do Ministério da Saúde da África do Sul, país mais rico do continente, cerca de 2,9 milhões de pessoas contraíram a AIDS na última década, e morreram aproximadamente 360 mil.

Leia também:
EUA liberam entrada de portadores do HIV após 22 anos de veto
Gel vaginal reduz em quase 40% a infecção pelo vírus HIV, aponta estudo
Falta muito ainda para vacina contra Aids, diz descobridora da doença

Para Morena, uma das razões do número elevado de casos é a desinformação, razão que o fez promover a campanha. "Na África, as informações sobre o sexo não estão facilmente disponíveis e sempre são distorcidas, de alguma forma", disse ele. "Há todo tipo de desinformação sobre os preservativos, por exemplo”.

Sobre seu filme, intitulado Mapona, Morena disse que todos os atores selecionados foram submetidos a testes de HIV, antes serem aprovados no elenco. Dois foram diagnosticados positivamente.

A indústria pornográfica sul-africana produz em média três a cinco filmes por ano, número pouco expressivo se comparado com os números da Europa e Américas. Em Mapona, além da iniciativa do uso da camisinha nas cenas, o DVD virá embalado com instruções para a utilização do preservativo.

A questão do sexo seguro em filmes pornôs ganhou repercussão após um ator, de Los Angeles, ser detecdato como HIV positivo na semana passada. Nos Estados Unidos, a lei federal exige que todos os atores pornôs sejam submetidos a testes 30 dias antes das filmagens.

Siga o Opera Mundi no Twitter 

Comentários