ONU pede 164 milhões de dólares para combater a cólera no Haiti

ONU pede 164 milhões de dólares para combater a cólera no Haiti

Agência Efe

A ONU anunciou nesta sexta-feira (12/11) que pedirá 164 milhões de dólares à comunidade internacional para lutar contra o cólera no Haiti, que deixou até o momento 724 mortos e mais de 11 mil hospitalizados.

"Esta quantidade servirá para enfrentar o surto de forma mais eficaz", disse em Genebra Elyzabeth Byrs, porta-voz do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha).

Leia mais:
Lula e Préval assinam acordos bilaterais para manter investimentos brasileiros no Haiti 
Mídia explorou tragédia no Haiti e ocultou solidariedade, acusam pesquisadores 

Haiti tem de ser mais autônomo e menos dependente de ajuda externa, diz Amorim
Lentamente, Haiti recupera a produção agrícola, afirmam Nações Unidas

Ela informou que se solicitará a quantia oficialmente aos doadores no dia 30 de novembro, quando a ONU emite relatório em Genebra do orçamento total de assistência ao Haiti para 2011.

Elyzabeth especificou que a quantidade foi estabelecida em um plano conjunto da ONU, 42 ONGs e a Organização Internacional de Migrações (OIM) para ajudar o Ministério da Saúde haitiano na epidemia.

O surto de cólera no Haiti, do qual ainda se desconhece sua origem, já se estendeu à metade das dez províncias do país desde que se confirmou o primeiro caso no dia 22 de outubro, embora a mais afetada seja Artibonite (norte).

Ao tratar-se do primeiro surto de cólera registrado no país, "a população é mais suscetível aos sintomas", destacou Gregory Hartl, porta-voz da Organização Mundial da Saúde.

O índice de mortalidade no Haiti, de perto de 7%, é mais elevado que em outros países atacados pelo cólera, uma situação que se deve a, entre outras coisas, seu surgimento em zonas remotas do país e à falta de acesso a água potável.

O Haiti já registra 643 mortes provocadas pelo cólera, além de 9.971 pessoas infectadas, de acordo com o Departamento de Ajuda Humanitária da ONU. O órgão informou que casos da doença foram identificados na capital Porto Príncipe.


Siga o Opera Mundi no Twitter    


Comentários

Leia Também