Hoje na História: 1947 - 'Um Bonde Chamado Desejo' é encenada pela primeira vez

Hoje na História: 1947 - 'Um Bonde Chamado Desejo' é encenada pela primeira vez

Max Altman

A peça teatral de Tennessee Williams, A streetcar named desire (Um Bonde Chamado Desejo), é representada pela primeira vez na Broadway em 3 de dezembro de 1947, sob a direção de Elia Kazan. O espetáculo teve como protagonista o jovem Marlon Brando no papel de um trabalhador de origem polonesa. Na adaptação da peça ao cinema em 1951, Kazan chamou novamente Brando. Sexualmente explícito, o filma provocou um escândalo na estréia. 

Wikicommons


No dia da estreia nos teatros, o famoso grito de Brando "Stella!" retumbou em todos os palcos da Broadway. Com 23 anos na época, o ator desempenhou o papel de Stanley Kowalski, um rude trabalhador, cujo violento conflito com Blanche DuBois, estrelado na Broadway por Jessica Tandy, uma sulista bonita com um passado obscuro, está no centro do famoso drama de  Williams.

Blanche DuBois é uma madura mas ainda atraente mulher sulista que gosta da virtude e da cultura mas que usa isso como escudo para esconder sentimentos de amargura e desilusão, além do vício do alcoolismo. Ao mesmo tempo em que foge da realidade, Blanche ainda busca atrair pretendentes. Ela chega ao apartamento da irmã Stella Kowalski, usando o bonde que faz a rota chamada "Desejo".

Esse novo ambiente abala os nervos de Blanche. Stella teme a reação do marido Stanley com os modos e a doença da irmã.  Stella era interpretada por Kim Hunter, mulher de Stanley, em sua casa no bairro francês de Nova Orleans. Ela e Stanley se desprezam um ao outro profundamente. Numa cena dramática, Stanley estupra Blanche, causando-lhe a perda de sua já frágil saúde mental. A peça termina com ela sendo levada embora em uma camisa de força.

Consagração

Quando as cortinas desceram na noite de estreia, seguiu-se um prolongado silêncio de aturdimento antes que a multidão prorrompesse em aplausos intermináveis que duraram não menos de 30 minutos. Em 17 de dezembro, o elenco deixou Nova York para seguir estrada. O espetáculo teve mais de 800 representações, tornando o carismático Marlon Brando em um astro da noite para o dia. Jessica Tandy ganhou o Prêmio Tony por sua performance e Tennessee Williams foi galardoado com o Prêmio Pulitzer de Dramaturgia.

Leia mais:
Hoje na História: Nasce o dramaturgo William Shakespeare
Hoje na História - 1956: O dramaturgo Arthur Miller nega-se a falar em julgamento
Hoje na História: Congresso dos EUA investiga "infiltração comunista" em Hollywood
Hoje na História: 1925 - Professor é condenado por ensinar a teoria da evolução nos EUA

Em 1951, Kazan dirigiu a versão cinematográfica de O Bonde Chamado Desejo, que no Brasil foi exibido com o título Uma Rua Chamada Pecado. Brando, Kim Hunter e Karl Malden, amigo de Stanley por quem Blanche se interessa, desempenharam seus papeis. O papel de Blanche foi entregue a Vivien Leigh, a estrela de atuação exagerada de E o Vento Levou.

A controvérsia acendeu quando a Legião Católica pela Decência ameaçou condenar o filme a menos que as cenas explicitamente sexuais – inclusive o clímax da violação de Blanche – fossem cortadas. Quando Williams, que escreveu o roteiro, se recusou a cortar a cena da violação, a Legião insistiu então que Stanley fosse punido no filme. Como resultado o filme, mas não a peça, termina com Stella abandonando Stanley.

Uma Rua Chamada Pecado recebeu 12 indicações para o Oscar. Ganhou o de Melhor Direção Artística, Melhor Atriz (Vivien Leigh), Melhor atriz coadjuvante (Kim Hunter) e Melhor Ator Coadjuvante (Karl Malden). Brando perdeu o de Melhor Ator para Humphrey Bogart em Uma Aventura na África.


Outros fatos marcantes da data:
03/12/1967 - Realizado o primeiro transplante de coração
03/12/1969 - OTAN aprova diretrizes para utilização tática de armas nucleares na Europa
03/12/1996 - A sonda espacial Clementine encontra indícios da existência de gelo na Lua



Siga o Opera Mundi no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

Comentários