Argentina reconhece oficialmente existência de Estado palestino

Argentina reconhece oficialmente existência de Estado palestino

Marina Terra

Após o Brasil, agora é a Argentina que reconhece a existência do Estado palestino "como estado livre e independente", com as fronteiras anteriores a 1967. A decisão foi comunicada nesta segunda-feira (06/12) pelo ministro das Relações Exteriores, Héctor Timerman, durante uma coletiva de imprensa em Buenos Aires.

De acordo com o chanceler, a Argentina compartilha com os presidentes e governos do Mercosul que "chegou o momento de reconhecer o Estado palestino como um estado livre e independente". Além disso, Timerman disse que a Argentina "apoia sempre as iniciativas de diálogo e paz da comunidade internacional para uma saída pacífica ao conflito no Oriente Médio", conforme noticiou o jornal Clarín

Leia mais:
Análise: O Estado de Israel é a origem do ódio
Entrevista: pessimismo impera entre crianças de Gaza  
Israel critica decisão do Brasil de reconhecer Estado palestino
Para centro palestino nos EUA, reconhecimento do Brasil pode ser decisivo
"Israel está fazendo muito dinheiro com a ocupação da Palestina", diz economista israelense 

Timerman afirmou que a presidente argentina, Cristina Kirchner, enviou hoje uma carta ao presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmoud Abbas.

Brasil

Na sexta-feira (03/12), o Brasil anunciou, por meio de nota do Ministério de Relações Exteriores, o reconhecimento de um Estado palestino nas fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, de 1967. A nota informa que a decisão foi tomada em resposta a um pedido feito em novembro por Abbas.

"Essa será uma decisão importante e histórica, porque encorajará outros países em seu continente e em outras regiões do mundo a seguir a sua posição de reconhecer o Estado palestino. Essa decisão levará também ao avanço do processo de paz e à promoção da posição palestina, que busca o reconhecimento internacional do Estado da Palestina", escreveu em carta datada de 24 de novembro Mahmoud Abbas. 


Siga o Opera Mundi no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

Comentários